terça-feira, 31 de maio de 2016

Conheça os pré-candidatos a vereadores do PMDB que vão apoiar o pré-candidato a prefeito o vereador Mirabor Leite


Em novo áudio, Sérgio Machado diz ter agido em nome de Temer


O presidente da República em exercício, Michel Temer, durante cerimônia de apresentação das credenciais de embaixadores de 6 países, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF) 

As gravações de conversas com caciques do PMDB feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado se aproximam cada vez mais da cúpula do governo interino. Em conversa revelada no fim da noite desta sexta-feira pelo Jornal da Globo, Machado conta a José Sarney ter "contribuído pro Michel", em referência ao então vice-presidente Michel Temer. 

A contribuição teria sido feita para a "candidatura do menino", que, segundo fontes ouvidas pela Globo, seria Gabriel Chalita, candidato a prefeito de São Paulo em 2012. Não fica claro de que ajuda ele fala. Sérgio Machado fez as gravações para tentar fechar um acordo de delação premiada. Nas conversas com caciques do PMDB como Sarney, Renan Calheiros e Romero Jucá, que já deixou o governo, ele fala sempre em deter a Lava Jato e culpa a presidente Dilma Rousseff por deixar a operação avançar.

LEIA TAMBÉM:

Com 5 pedidos para afastar presidente de comissão, aliados tentam evitar cassação de Cunha

Odebrecht assina pré-acordo de delação premiada © EVARISTO SA via Getty Images 
O presidente do Conselho de Ética, deputado José Carlos Araújo (PR-BA) recebeu na manhã desta terça-feira cinco denúncias para que saia da presidência do colegiado. Os pedidos são mais uma tentativa de evitar a cassação deEduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente afastado da Casa.

"O deputado Eduardo Cunha está afastado, mas tudo leva a crer, e a gente crê piamente nisso, que ele continua manejando os seus tentáculos nessa Casa", afirmou Araújo enquanto assinava a notificação dos pedidos de representação. São três originais e dois apensados.

Araújo tem até terça-feira da semana que vem para se defender na Corregedoria da Câmara. O órgão envia um parecer à Mesa da Câmara, que avalia se os processos devem seguir para o Conselho de Ética. Caso haja instauração do processo, o deputado precisará ser afastado da presidência do colegiado.

Há um entrave técnico para ser vencido ainda. De acordo com o Código de Ética e Decoro Parlamentar, passados 90 dias desde a instauração de um processo no colegiado, a pauta fica sobrestada até a análise do caso ser concluída. Isso significa que novas representações não podem começar a tramitar.

O processo contra Cunha completou 90 dias desde a instauração em 25 de abril, e já é o mais longo da história do Conselho de Ética. No dia da defesa do peemedebista, o relator, deputado Marcos Rogério (DEM-RO) declarou o fim da fase de instrução probatória. Iniciou-se então, o prazo de dez dias para ele finalizar o parecer.

Na data, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) apresentou uma questão de ordem em que pedia para o Conselho declarar que não há sobrestamento de pauta. O objetivo é justamente permitir uma instauração ágil do processo contra Araújo. A questão foi negada pelo presidente do colegiado. Marun fez um recurso que aguarda deliberação na Mesa. 

Dessa forma, está nas mãos do presidente em exercídio da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) assinar uma nova decisão que pode favorecer Cunha. Ele já restringiu o conteúdo da representação, determinou a troca do relator e anulou a primeira votação de admissibilidade.

Caso os pedidos de representação contra Araújo avancem, ele será afastado e o suplente do partido ou do bloco assume a vaga de titular. A presidência do colegiado passa interinamente para as mãos do 1º-vice-presidente, Sandro Alex (PSD-PR).

Denúncias

De acordo com documento assinado pelo vereador de Morro do Chapéu (BA), João Humberto Batista, Araújo teria pago R$ 75 mil a deputados para compra na eleição de 2014. 

Outro pedido de representação afirma que o presidente do Conselho usou um motorista como laranja para comprar uma fazenda de R$ 1,5 milhão. A terceira, que reúne três pedidos com o mesmo teor, trata de denúncias feitas pelo parlamentar a uma rádio sobre uma invasão de terra de seus opositores em uma região da Bahia.

Araújo rebateu as acusações e disse que irá apresentar a sua defesa. “São fatos políticos regionais. Além disso, tem ‘n’ processos parados na Corregedoria”, disse. Sobre a fazenda, disse que o valor real foi de R$ 40 mil, que o comprador é um motorista que trabalha para ele há 18 anos, e que ajudou com cerca de R$ 20 mil na compra do imóvel.

Cassação Cunha

Também na manhã de hoje, Marcos Rogério entregou a Araújo o relatório sobre a cassação de Cunha. O conteúdo do texto não pode ser divulgado até a leitura, sob risco de anulação. O parecer será lido em sessão marcada para as 14h desta quarta-feira. Como deve haver pedido de vista, o texto só será apreciado na próxima semana.

Réu por corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Lava Jato, Cunha é acusado de mentir à CPI da Petrobras ao negar ter contas no exterior. As transações foram comprovadas pelas investigações do Ministério Público e da Polícia Federal.

Com a decisão de Maranhão de limitar o conteúdo do voto do relator, para exluir a acusação por recebimento de propina, o voto pedirá a cassação baseado na mentira à CPI sobre as contas. De acordo com ele, o “conjunto probatório” dará “tranquilidade para o colegiado decidir de forma segura”. São necessários 11 dos 21 votos para aprovar o texto.

Apesar de discordar da limitação, Rogério decidiu respeitar a decisão de Maranhão para evitar questionamentos jurídicos ou regimentais. Questionado sobre pressões na formulação do parecer o deputado respondeu que “os apelos são ouvidos e considerados na medida de sua razoabilidade". Aliados de Cunha articulam para aprovar uma pena mais branda.

Representante do partido autor do processo contra Cunha, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) criticou a demora no processo. “Tem 231 desde que foi protocolizada a denúncia. O tempo é o senhor da manipulação.”

LEIA TAMBÉM



Jovem é assassinado com 16 facadas na frente de crianças durante aniversário


O homicídio aconteceu na noite deste domingo (29) em uma residência da Rua Girassol, dependências do bairro Jardim Eldorado em Rio Branco. A vítima, Luiz Mateus Pereira da Cruz, de 19 anos, recebeu 16 facadas pelo corpo na frente de várias crianças em um aniversário.
Segundo informações das testemunhas, o jovem estava sentado na calçada em frente à residência onde acontecia o aniversário e quando viu vários homens encapuzados e armados com faca, saiu correndo para dentro da festa. Ele foi perseguido até ser alcançado e esfaqueado com pelo menos 16 facadas na frente de várias crianças e adultos, que saíram correndo apavoradas com o ocorrido. Após cometerem o crime, os suspeitos fugiram correndo.
A Polícia Militar foi acionada e quando chegou o corpo do jovem já havia sido retirado pelos residentes da casa e colocado no meio da rua. O local foi isolado para os trabalhos da perícia e após a coleta de informações, os militares saíram em patrulhamento, porém, ninguém chegou a ser preso.
fonte  contilnetnoticias.com

pai amarra filho usuário de droga para não vender celular, em Sena Madureira


O número de casos de usuários de drogas cresce consideravelmente no Brasil e no mundo. Muitos pais tentam de várias formas tirarem os filhos do vício, seja por tratamento ou mesmo o trancando em casa para evitar o consumo ou violência.
Um caso desses ocorreu no município de Sena Madureira durante o final de semana. O pai do jovem Tiago Morais, morador no Bairro da Pista, cansado de ver o filho se perdendo no mundo do tráfico o amarrou para impedir que ele vendesse o aparelho celular para comprar entorpecente.
O pai, quando se negou a entregar o aparelho, foi ameaçado por Tiago que tentou o agredir fisicamente, mas ele foi imobilizado e marrado.
Após várias horas amarrado, o pai que não quis ter o nome revelado, chamou a Polícia Militar que conduziu Tiago à delegacia. Na delegacia Tiago disse que iria vender o aparelho do pai para comprar drogas. O acusado está preso e será ouvido pelo delegado Rêmulo Diniz.
fonte www.ac24horas.com

MINISTROS DE TEMER ADMINISTRAM CONTRATOS DE SEUS DOADORES DE CAMPANHA

Os ministros Maurício Quintella Lessa (Transportes), Raul Jungmann (Defesa), Mendonça Filho (Educação), Helder Barbalho, (Integração Nacional) e Bruno Araújo (Cidades) serão responsáveis, no governo interino de Michel Temer, por contratos de empresas que doaram para suas campanhas eleitorais; só nos Transportes, a OAS e as empreiteiras Barbosa Mello e Sanches Tripoloni despejaram R$ 600 mil na campanha de Quintella; em 2016, as três empresas já receberam R$ 145,14 milhões em contratos com a Valec e o Dnit

31 DE MAIO DE 2016 ÀS 16:50

247 - Os ministros do governo interino de Michel Temer Maurício Quintella Lessa (Transportes), Raul Jungmann (Defesa), Mendonça Filho (Educação), Helder Barbalho, (Integração Nacional) e Bruno Araújo (Cidades) serão responsáveis por contratos de empresas que doaram para suas campanhas eleitorais.

Reportagem de Victor Gomes e André Shalders a partir de dados do Portal da Transparência e do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais de 2014 mostra que no Ministério dos Transportes, a OAS e as empreiteiras Barbosa Mello e Sanches Tripoloni despejaram R$ 600 mil na campanha ao então candidato a deputado federal Maurício Quintella Lessa (PR-AL). Em 2016, as 3 empresas já receberam R$ 145,14 milhões em contratos com a Valec e o Dnit, subordinados aos Transportes.

O atual titular da Integração Nacional, Helder Barbalho, recebeu R$ 530 mil da Queiroz Galvão em 2014. Naquele ano, ele concorreu ao cargo de governador do Pará. Hoje, Helder comanda o ministério responsável pela transposição do rio São Francisco, um dos principais projetos da construtora.

Na Defesa, Raul Jungmann (PPS-PE) recebeu ao todo R$ 384 mil da construtora Odebrecht. Em 2016, a Odebrecht já recebeu R$ 278 milhões para tocar o programa de desenvolvimento do submarino nuclear brasileiro. A pasta também possui contratos menores com outras 8 subsidiárias da empreiteira.

Já no Ministério das Cidades, o ministro Bruno Araújo (PSDB-PE) recebeu R$ 710 mil de quatro empreiteiras para sua campanha à Câmara em 2014. São elas: Odebrecht (R$ 130 mil), Queiroz Galvão (R$ 80 mil), Ética Construtora (R$ 300 mil) e Sanches Tripoloni (R$ 200 mil).

Enquanto na Educação, o titular da pastas, Mendonça Filho (DEM-PE), recebeu R$ 100 mil do frigorífico JBS para sua campanha à Câmara. Só neste ano, a empresa ganhou R$ 123 mil em um contrato com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), ligada ao MEC.
http://www.brasil247.com

Cunha diz que seu processo de cassação será anulado

“Me cabe recurso à Comissão de Constituição e Justiça e eu o farei pelas nulidades presentes no relatório, se ele (o relator) as mantiver. E não tenho dúvida que vai tornar nula toda essa votação”, diz presidente afastado da Câmara em entrevista à CBN


                                  Lúcio Bernardo Jr./Ag. Câmara

"Conselho é soberano e, em última instância, será o plenário. Se o devido processo legal não estiver sendo respeitado, haverá nulidade"Antes mesmo da entrega do relatório pelo deputado Marcos Rogério (DEM-RO) ao Conselho de Ética, o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já afirma que o pedido de cassação de seu mandato será anulado. Em entrevista à rádio CBN nesta manhã, Cunha afirmou que recorrerá à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), presidida por seu aliado Osmar Serraglio (PMDB-PR), caso o parecer do relator seja aprovado.

Marcos Rogério, que já sinalizou que pedirá a cassação do peemedebista, deve entregar suas conclusões ao colegiado nesta terça-feira. “Estou confiante de que não tenho nenhuma culpa nos fatos elencados. Eu não menti à CPI. O Conselho é soberano e, em última instância, será o plenário. Se o devido processo legal não estiver sendo respeitado, haverá nulidade”, disse Cunha.

Ele afirmou que não tem dúvida de que seu processo será anulado. “Me cabe recurso à Comissão de Constituição e Justiça e eu o farei pelas nulidades presentes no relatório, se ele (o relator) as mantiver. E não tenho dúvida que vai tornar nula toda essa votação”, reforçou.

Na entrevista, o deputado afastado voltou a negar que tenha feito manobras para trocar membros do Conselho de Ética até que a composição lhe favorecesse. “As postergações decorreram das atuações antirregimentais do presidente do Conselho (José Carlos Araújo) e do próprio relator”, declarou.

Com quase sete meses de tramitação, o processo contra Cunha é o mais longo da história do Conselho de Ética da Câmara. Ele é acusado de ter mentido à CPI da Petrobras ao negar ter contas bancárias no exterior.

Destituição de relator

Em seu depoimento ao colegiado, no último dia 19, Cunha anunciou que recorreria novamente à CCJ para tentar destituir Marcos Rogério da relatoria. O peemedebista alegou que, por ter trocado o PDT pelo DEM, partido que faz parte hoje do mesmo bloco do PMDB, Marcos Rogério está impedido de relatar a sua representação.

A estratégia foi utilizada pelo deputado afastado no ano passado, quando solicitou a destituição do antigo relator, Fausto Pinato (SP), que trocou o PRB pelo PP, legenda que fazia parte do bloco que elegeu o peemedebista à presidência da Câmara.

O argumento de Cunha foi contestado por Marcos Rogério. “Vale o bloco do início da legislatura. Se valesse aquele do momento em que os fatos se deram, o deputado Fausto Pinato não teria sido impedido”, rebateu o deputado rondoniense na ocasião.

No mesmo depoimento ao Conselho de Ética, Cunha reiterou que não mentiu à CPI da Petrobras, em março do ano passado, ao dizer que não possuía contas no exterior. Ele repetiu que não é o titular, apenas o “beneficiário” dos recursos depositados em conta na Suíça.

De acordo com investigadores da Lava Jato, as contas atribuídas ao deputado no país europeu receberam depósitos de US$ 4,8 milhões e de 1,3 milhões de francos suíços, equivalentes a mais de R$ 23 milhões. Cunha afirmou aos deputados, nesta manhã, que constituiu um “trust” para administrar os recursos. Segundo ele, o dono do dinheiro é o “trust”, e não ele.


POR CONGRESSO EM FOCO | 31/05/2016 10:13 

DELATOR, FILHO DE MACHADO PODE IMPLODIR TODO PMDB

Gestor de recursos em Londres, Expedito Machado Neto era o operador financeiro do PMDB e decidiu fechar acordo de delação premiada na Lava Jato, assim como seu pai, Sergio Machado; de acordo com pessoas próximas ao caso, as cifras que serão devolvidas por Sergio Machado e seu filho seriam "surpreendentes"; delação já foi homologada pelo ministro Teori Zavascki e pode ser tão devastadora como a do pai, ex-presidente da Transpetro, que já derrubou dois ministros de Michel Temer: Romero Jucá, do Planejamento, e Fabiano Silveira, da Transparência

31 DE MAIO DE 2016 ÀS 08:54

247 - Apontado como um dos operadores financeiros do PMDB no Senado, o filho caçula do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, Expedito Machado, seguiu os passos do pai e também firmou um acordo de delação premiada com a Justiça no âmbito da Operação Lava Jato. Did, como é conhecido, é responsável por um fundo de investimento em Londres e teve sua delação homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki.

A delação premiada de Did pode ser tão devastadora como a do pai, cujos áudios gravados por ele junto a membros do PMDB e da cúpula do governo do presidente Interino Michel Temer levaram à queda de dois ministros em apenas 19 dias de gestão. Enquanto o Sérgio Machado mostrou as ligações da cúpula do PMDB em tirar a presidente afastada Dilma Rousseff do poder e em frear as investigações da Lava Jato, Expedito teria mostrado o caminho percorrido pelo dinheiro desviado de obras e contratos da Transpetro.

O acordo de delação premiada de Sérgio Machado e de Expedito teriam sido firmados após os investigadores terem rastreado operações financeiras ligadas ao grupo que acabaram chegando ao fundo de investimento controlado por Did.

O acordo prevê, ainda, a devolução dos recursos originários do esquema e que foram investidos no fundo controlado por Did. O valor total a ser repatriado, porém, ainda não foi devidamente quantificado, mas investigadores já adiantaram que os valores envolvidos são "surpreendentes".

As informações prestadas por Expedito são avaliadas como mais comprometedoras que os áudios gravados por seu pai e envolvem ainda mais o senador e ministro Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP). Na semana passada, Jucá deixou Ministério do Planejamento após as gravações mostrarem que ele defendeu o impeachment da presidente Dilma como uma forma de "estancar a sangria" decorrente da Operação Lava Jato.

Nesta segunda-feira (30), foi a vez do ministro da Transparência, Fabiano Silveira, entregar o cargo após ao áudios mostrarem ele criticando a Lava Jato e orientando o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que também é investigado, sobre como se defender junto à Procuradoria Geral da República (PGR).

CAI O 2º MINISTRO DE TEMER EM 17 DIAS DE GOVERNO

FABIANO SILVEIRA AGORA SERÁ ALVO DO CNJ
Segunda baixa do governo provisório de Michel Temer, Fabiano Silveira, será agora investigado pelo Conselho Nacional de Justiça; a investigação deve ser aberta nesta terça-feira

31 DE MAIO DE 2016 ÀS 05:37
247 – Segunda baixa do governo provisório de Michel Temer, Fabiano Silveira, será agora investigado pelo Conselho Nacional de Justiça; a investigação deve ser aberta nesta terça-feira. 

É o que informa a coluna Painel. Confira:

Aqui se paga? Mesmo apeado do Ministério da Transparência, Fabiano Silveira pode continuar levando dor de cabeça a Michel Temer. O Conselho Nacional de Justiça abre, nesta terça, investigação prévia para apurar se ele usou o cargo de conselheiro do órgão para favorecer interesses privados. A corregedora Nancy Andrighi viu indício de crime nas conversas em que ele orienta Renan Calheiros sobre a Lava Jato. Ao fim dessa fase, ela deve pedir ao plenário que abra um processo contra Silveira.

Tudo de casa Conselheiro do órgão de 2013 a 2016 por indicação do Senado, Silveira é submetido às mesmas punições dos magistrados no exercício das funções.

SUPERDELAÇÃO DA ODEBRECHT DEVE ATINGIR 50 POLÍTICOS

Empreiteira comanda por Marcelo Odebrecht, preso há quase um ano, formalizou sua delação premiada na última quarta-feira, segundo informa a jornalista Mônica Bergamo; empresa se comprometeu a detalhar o financiamento de todas as campanhas recentes que financiou, o que atinge tanto a chapa Dilma-Temer como Aécio-Aloysio, na disputa presidencial de 2014; além disso, o pai de Marcelo, Emílio Odebrecht, também deve participar das delações; ao todo, devem ser citados cerca de 50 políticos, de partidos como PT, PMDB e PSDB 

31 DE MAIO DE 2016 ÀS 05:12

247 – A Odebrecht, maior empreiteira do País, formalizou na última quarta-feira seu acordo delação premiada, segundo informa acolunista Mônica Bergamo.

Segundo ela, além de Marcelo Odebrecht, preso há quase um ano em Curitiba, até mesmo seu pai, Emílio Odebrecht, deve prestar depoimentos ao Ministério Público.

A delação, diz Mônica, não será seletiva. "A empreiteira se comprometeu oficialmente a detalhar o financiamento de todas as campanhas majoritárias de anos recentes com as quais colaborou – como as de Dilma Rousseff a presidente da República e Michel Temer vice e a de Aécio Neves a presidente, em 2014. Ou seja, nenhum dos grandes partidos (PT, PSDB e PMDB) deve ser poupado", diz ela.

Mônica informa ainda que não há nada de concreto sobre eventual acusação contra a presidente temporariamente afastada Dilma Rousseff. "O tema não foi ainda abordado oficialmente com o Ministério Público Federal", informa.

"O termo assinado pela Odebrecht e pelos procuradores não define o número exato dos executivos que devem delatar. Mas ele pode chegar a 50", diz ainda a jornalista.
http://www.brasil247.com/

ALIADO DE AÉCIO E ANASTASIA DESVIOU R$ 14 MILHÕES PARA CAMPANHAS

Ex-presidente do PSDB mineiro e ex-secretário de Ciência e Tecnologia de Antonio Anastasia, além de político muito próximo do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Nárcio Rodrigues foi acusado por um delator de ter cobrado propina no projeto Cidade das Águas, em Minas Gerais, com o objetivo de financiar campanhas políticas; no processo de impeachment, que foi relatado no Senado por Anastasia, o filho de Nárcio, deputado Caio Nárcio (PSDB-MG), afirmou que votava por "um Brasil da decência", como aprendeu com seu pai; assista

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Tudo sendo preparado para que Nilson Filho tenha alta hospitalar e voltar para TK.




Fonte: fotos do facebook do acciolytk

Chico Pinheiro considera golpe o impeachment contra Dilma


Jornalista é mais um global a divergir da opinião da emissora quanto ao processo de impeachment de Dilma Rousseff: “Não vejo autoridade moral ou ética nos políticos que querem julgar a presidente” 

Por Portal Vermelho

O jornalista Chico Pinheiro, conhecido por seu bom humor, falou sério ao responder o internauta que o abordou. Pinheiro foi categórico: “Processo de impeachment é político. E não vejo autoridade moral ou ética nos políticos que querem julgar a Presidente”. Para justificar sua afirmação o jornalista afirmou ainda: “Dos 65 deputados que compõem a comissão, mais de 40 tiveram seus nomes ligados às empresas investigadas na Lava Jato”.

Um outro internauta fez uma pergunta mais direta: “É golpe ou não é?”. Pinheiro manteve a linha de questionar a autoridade dos julgadores: “O impeachment está previsto na Carta [Constituição]. O que o torna golpe são os personagens que tocam o processo e seus interesses”.

Essa declaração de Chico Pinheiro foi suficiente para despertar a ira de golpistas que passaram a agredi-lo pelo twitter. Um internauta mais grosseiro afirmou que o jornalista deveria estar ganhando dinheiro para defender aquela posição. A resposta foi dura: “Gente da sua turma tá acostumada a emitir opinião de acordo com a grana que recebe, é ?? Por isso não nos entende..” Um outro internauta tentou jogar todos numa vala comum ao dizer que está tudo podre, sociedade, política, jornalismo, tudo sujo!”. Foi suficiente para despertar a veia irônica do jornalista: “Você pode ter razão. Mas quando a gente acha que absolutamente tudo cheira mal, é prudente checar o próprio nariz.”

Foto de capa: Divulgação
http://www.revistaforum.com.br/2016/04/04/chico-pinheiro-considera-golpe-o-impeachment-contra-dilma/

Ex-presidente do PSDB de Minas é preso pela PF por suspeita de desvio de 2 bi


Narcio Rodrigues, ex-deputado federal, ex-presidente do PSDB de Minas, de 2004 a 2007 e de 2009 a 2011, e ex-secretário de Ciência e Tecnologia no governo Anastasia, o relator do impeachment de Dilma no Senado, acaba de ser preso em Belo Horizonte.

Sua prisão é fruto de uma operação conjunta da Polícia Militar, do Ministério Público e da Polícia Federal. A assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que seis pessoas foram presas, entre elas Nárcio Rodrigues.

Entre as seis prisões, uma foi realizada em São Paulo. A identidade do preso ainda não foi revelada. A operação, batizada de Aequalis, também cumpriu 16 mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte e Frutal, no Triângulo Mineiro, cidade natal de Narcio.

O noticiário de Minas Gerais dá conta de que a investigação teria como objeto desvios da ordem de 2 bilhões de reais.

Narcio é um dos homens fortes de Aécio e Anastasia e sua prisão está sendo tratada como uma bomba em Minas Gerais.

A partir de Narcio, pode-se abrir a caixa preta do que aconteceu nos 12 anos de governo tucano no estado.

http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2016/05/30/homem-de-aecio-ex-presidente-do-psdb-de-minas-e-preso-pela/

ELEIÇÕES 2016: CONFIRA O CALENDÁRIO ELEITORAL


O calendário das Eleições Municipais de 2016 no Brasil foi aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 10 de novembro de 2015. O primeiro turno ocorrerá no dia 2 de outubro e o segundo turno no dia 30 de outubro. Já a data limite para o futuro candidato alterar o seu domicilio eleitoral foi no dia 2 de outubro de 2015, 1 ano antes da eleição, enquanto o prazo para se filiar a um partido acaba no dia 2 de abril de 2016.

Vale lembrar que as datas podem ser alteradas com a divulgação oficial do calendário eleitoral pelo TSE.

Data Eventos

2 de outubro de 2015 - Termina o prazo para o candidato trocar o seu domicílio eleitoral para o município que irá concorrer.

1 de janeiro de 2016 - Torna-se obrigatório o registro das pesquisas eleitorais realizadas pelos institutos de pesquisas.

5 de março de 2016 - Último dia para comunicação das instruções das Eleições Municipais 2016 pelo TSE.

2 de abril de 2016 - Prazo limite para o candidato estar filiado a um partido.

4 de maio de 2016 - Data final para o eleitor solicitar a inscrição ou alterar o título de eleitor, transferir o domicílio eleitoral, regularizar a situação ou requerer a transição para Seção Eleitoral Especial (destinada aos eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida).

13 de junho a 3 de agosto 2016 - Fase em que são escolhidos os integrantes das Mesas Receptoras.

5 de julho de 2016 - Passa a ser permitido ao candidato a propaganda intrapartidária visando sua nomeação à candidatura. É vetado o uso de rádio, televisão e outdoor.

20 de julho a 5 de agosto de 2016 - Período no qual os partidos estão autorizados a promover convenções para a definição dos candidatos.

3 de agosto de 2016 - Data limite para o eleitor solicitar a segunda via do título de eleitor fora do seu domicílio eleitoral.

15 de agosto de 2016 - Final do prazo para os partidos políticos e coligações registrarem seus candidatos.

16 de agosto de 2016 - Está autorizada a propaganda eleitoral.

26 de agosto de 2016 - Começa a propaganda eleitoral gratuita através do rádio e televisão.

13 de setembro de 2016 - Prazo limite para a definição e comunicação dos partidos políticos à Justiça Eleitoral dos gastos de campanha dos candidatos.

15 de setembro de 2016 - É publicado pela Justiça Eleitoral o relatório das receitas em dinheiro coletadas pelos partidos políticos para patrocinar as campanhas eleitorais.

22 de setembro de 2016 - Prazo final para o eleitor requisitar em seu domicílio eleitoral a segunda via do Título de Eleitor.

29 de setembro de 2016 - Fim da propaganda eleitoral gratuita veiculadas no rádio e na televisão.

30 de setembro de 2016 - Termina o período da exibição de propaganda eleitoral paga.

2 de outubro de 2016 - Primeiro turno.

28 de outubro de 2016 - Encerramento da propaganda eleitoral gratuita através do rádio e da televisão associada ao segundo turno.

28 de outubro de 2016 - Acaba a propaganda eleitoral paga relativa ao segundo turno.

30 de outubro de 2016 - Segundo turno.

Veja também


Veja tudo AQUI

ELEIÇÕES 2016: CONFIRA O CALENDÁRIO ELEITORAL


O calendário das Eleições Municipais de 2016 no Brasil foi aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 10 de novembro de 2015. O primeiro turno ocorrerá no dia 2 de outubro e o segundo turno no dia 30 de outubro. Já a data limite para o futuro candidato alterar o seu domicilio eleitoral foi no dia 2 de outubro de 2015, 1 ano antes da eleição, enquanto o prazo para se filiar a um partido acaba no dia 2 de abril de 2016.

Vale lembrar que as datas podem ser alteradas com a divulgação oficial do calendário eleitoral pelo TSE.

Data Eventos

2 de outubro de 2015 - Termina o prazo para o candidato trocar o seu domicílio eleitoral para o município que irá concorrer.

1 de janeiro de 2016 - Torna-se obrigatório o registro das pesquisas eleitorais realizadas pelos institutos de pesquisas.

5 de março de 2016 - Último dia para comunicação das instruções das Eleições Municipais 2016 pelo TSE.

2 de abril de 2016 - Prazo limite para o candidato estar filiado a um partido.

4 de maio de 2016 - Data final para o eleitor solicitar a inscrição ou alterar o título de eleitor, transferir o domicílio eleitoral, regularizar a situação ou requerer a transição para Seção Eleitoral Especial (destinada aos eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida).

13 de junho a 3 de agosto 2016 - Fase em que são escolhidos os integrantes das Mesas Receptoras.

5 de julho de 2016 - Passa a ser permitido ao candidato a propaganda intrapartidária visando sua nomeação à candidatura. É vetado o uso de rádio, televisão e outdoor.

20 de julho a 5 de agosto de 2016 - Período no qual os partidos estão autorizados a promover convenções para a definição dos candidatos.

3 de agosto de 2016 - Data limite para o eleitor solicitar a segunda via do título de eleitor fora do seu domicílio eleitoral.

15 de agosto de 2016 - Final do prazo para os partidos políticos e coligações registrarem seus candidatos.

16 de agosto de 2016 - Está autorizada a propaganda eleitoral.

26 de agosto de 2016 - Começa a propaganda eleitoral gratuita através do rádio e televisão.

13 de setembro de 2016 - Prazo limite para a definição e comunicação dos partidos políticos à Justiça Eleitoral dos gastos de campanha dos candidatos.

15 de setembro de 2016 - É publicado pela Justiça Eleitoral o relatório das receitas em dinheiro coletadas pelos partidos políticos para patrocinar as campanhas eleitorais.

22 de setembro de 2016 - Prazo final para o eleitor requisitar em seu domicílio eleitoral a segunda via do Título de Eleitor.

29 de setembro de 2016 - Fim da propaganda eleitoral gratuita veiculadas no rádio e na televisão.

30 de setembro de 2016 - Termina o período da exibição de propaganda eleitoral paga.

2 de outubro de 2016 - Primeiro turno.

28 de outubro de 2016 - Encerramento da propaganda eleitoral gratuita através do rádio e da televisão associada ao segundo turno.

28 de outubro de 2016 - Acaba a propaganda eleitoral paga relativa ao segundo turno.

30 de outubro de 2016 - Segundo turno.

Veja também


Veja tudo AQUI

“Meu pai dizia que honestidade era obrigação”, disse filho de tucano preso


O deputado federal Caio Nárcio (PSDB-MG), filho do Nárcio Rodrigues, ex-presidente do PSDB de Minas, que foi detido, votou pela aprovação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara, em abril; "Por um Brasil aonde meu pai e meu avô diziam que decência e honestidade não eram possibilidade, eram obrigação", afirmou Caio antes de votar a favor do impeachment. O deputado encerrou a fala com a citação: "Verás que um filho teu não foge à luta"

Brasileiro mata policial boliviano com tiro na testa durante assalto


A tentativa de assalto ocorreu por volta do meio dia de domingo 29, na Vila Evo Morales na Bolívia e que faz divisa com Plácido de Castro.


De acordo com informações, a tentativa aconteceu na hora em que os lojistas bolivianos costumam fechar para o almoço, foi quando dois homens brasileiros armados teriam anunciado o assalto, a loja onde ocorreu o crime fica perto do Quartel da Polícia Boliviana, e o comerciante que foi assaltado saiu gritando pedindo ajuda e foi ai que os policiais bolivianos perceberam que se tratava de um assalto.
Alguns soldados tentaram impedir os assaltantes brasileiros que trocaram tiros com os soldados bolivianos e conseguiram acertar um policial com um tiro na testa.
fonte A Tribuna

Pacote de maldades incendiará o país

Por Altamiro Borges
Se for realmente levado à pratica, o pacote econômico anunciado nesta semana pelo golpista Michel Temer e por seu ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, deverá rapidamente convulsionar o Brasil. No seu conjunto, as medidas visam enfrentar a atual crise com um brutal arrocho dos trabalhadores e das camadas médias da sociedade para elevar os lucros dos capitalistas, principalmente dos rentistas. A alta burguesia, que orquestrou o golpe e manipulou os "midiotas", ficará com o bônus; já a ampla maioria da população entrará com o ônus. Só que o pacote de maldades é tão perverso que até setores das elites já temem uma explosão de revoltas nos próximos meses. A velha luta de classes, que alguns pragmáticos imaginavam ter acabado, pode atrapalhar a ambição dos golpistas.

Entre outras maldades, o pacote prevê a criação de um teto para os investimentos na educação, saúde, previdência e seguridade social. A medida fere a própria Constituição Federal, que fixou regras para a destinação de recursos públicos a estes serviços essenciais ao bem-estar da população. O objetivo do retrocesso é eliminar as atuais vinculações obrigatórias de gastos. Caso a crueldade do Judas Temer já estivesse valendo no país, os gastos de 2015 com estas áreas vitais para a sociedade teriam sido de R$ 600,7 bilhões, cerca de metade do R$ 1,16 trilhão contabilizado no período. Os resultados, evidentes, seriam mais filas nos hospitais, menos estudantes nas salas de aula e outras tragédias sociais. 

Na entrevista em que anunciou o pacote, o Judas Michel Temer argumentou que "as despesas do setor público estão em trajetória insustentável". Daí a urgência da maldade! O capacho dos rentistas nada falou sobre os gastos exorbitantes com juros da dívida pública, que enriquecem o 1% dos ricaços que vive da especulação financeira. A "austeridade fiscal", tão em moda na Europa devastada, atingiria somente os assalariados e camadas médias da sociedade. Na ocasião, o ministro Henrique Meirelles, queridinho do "deus-mercado", também anunciou que estuda mecanismos para reduzir a carga tributária dos grandes empresários e especuladores. 

Aumento da idade para se aposentar

Além da fixação do teto para os gastos na saúde e na educação, o "presidente interino" reafirmou que pretende fazer uma "profunda" reforma da Previdência Social. Em várias entrevistas, o seu desbocado ministro antecipou que o objetivo seria impor a idade mínima de 65 para a aposentadoria - inclusive para quem já está prestes a se aposentar. Como a iniciativa é explosiva, com efeitos devastadores na própria sustentação do governo golpista e nas eleições deste ano, o setor mais "político" do Planalto evita tratar do tema. Segundo uma notinha marota da Folha, "o governo já tranquilizou a sua tropa de choque no Congresso: só apresentará a reforma da Previdência depois das eleições municipais".

Também já está no forno a proposta que prevê extinguir os direitos fixados na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) - como férias, 13º salário, adicionais, entre outras conquistas históricas. A ideia é ressuscitar uma proposta derrotada do triste reinado de FHC, que previa a prevalência do negociado sobre o legislado. Na entrevista da semana passada, Michel Temer tocou de leve no assunto - também inflamável. Ele, porém, não vacilou em anunciar o fim da política de valorização do salário mínimo, que foi criada por pressão do movimento sindical num acordo firmado com o ex-presidente Lula. A chamada "desindexação do salário mínimo" já havia sido antecipada por Henrique Meirelles num convescote com "investidores" em Nova York, segundo revelou a revista Época

Entrega do pré-sal e outros atentados à soberania

Além destas medidas descaradamente antipopulares, o Judas Temer também anunciou várias ações contra o Estado nacional. "O presidente interino destacou que apoiará projeto aprovado pelo Senado que altera as regras de exploração de petróleo do pré-sal, retirando da Petrobras a exclusividade das atividades e acabando com a obrigação da estatal a participar com pelo menos 30% dos investimentos em todos os consórcios de exploração da camada. O projeto, de autoria do senador tucano José Serra, passou pelo Senado e será avaliado pela Câmara Federal", descreveu, excitado, o entreguista Estadão. A mídia colonizada festejou ainda a decisão de utilizar os recursos do Fundo Soberano, de acelerar o processo de privatização das estatais e de descapitalizar o BNDES.

A apresentação do pacote de maldades alegrou o chamado "deus-mercado", que exigia medidas duras e imediatas dos seus serviçais no assalto ao Palácio do Planalto. Ela também foi festejada pela mídia rentista, que já tenta embelezar a sinistra figura do Judas Michel Temer. O entusiasmo dos golpistas, porém, é contido. Eles temem que o pacote de maldades gere forte desgaste para o "novo" governo e incentive a ampliação dos protestos de rua. À questão democrática se juntaria a defesa dos direitos ameaçados. Há temores, inclusive, de que uma massiva onda de protestos reverta os votos no Senado no julgamento do "mérito" do impeachment de Dilma, previsto para setembro. Tudo indica que o país viverá momentos de forte tensão social, Os efeitos deste incêndio são imprevisíveis! 

Leia também:





sábado, 28 de maio de 2016

Ex-governador Romildo Magalhães é homenageado nos 100 anos da PM


Sumido da vida pública, o ex-governador Romildo Magalhães reapareceu para ser homenageado na manhã desta sexta-feira, 27, com a medalha “Guardiões da Estrela Altaneira” pela Polícia Militar do Acre durante a solenidade de comemoração dos 100 anos da instituição. A cerimônia acontece em frente ao quartel da Polícia Militar.

22d48df8-5811-4e6f-9a17-a28dd331eaf1
Romildo chegou cedo ao local da solenidade e foi convidado, por sugestão do governador Sebastião Viana ao comandante da PM, Julio Cesar, para tomar assento na fileira da frente ao lado das principais autoridades do Estado. O ex-governador foi cumprimentado por Sebastião Viana e demais autoridades.
Entre os mais antigos da corporação, Romildo é tido “como um pai para a PM”. Romildo Magalhães foi governador do Acre entre 1992 e 1995. Ele virou governador do Acre em 17 de maio de 1992, com o assassinato de Edmundo Pinto, do qual era vice.
A Polícia Militar também homenageou com a medalha “Guardiões da Estrela Altaneira” o governador Sebastião Viana, a vice-governadora Nazaré Araújo e outras pessoas presentes. A homenagem foi concedida a 100 pessoas.

Lula leva título de ‘Campeão Mundial na Luta Contra Fome’ pela ONU

Brasil sedia nesta segunda Dialogo Brasil-África sobre segurança alimentar. Já receberam o mesmo prêmio Ban Ki-moon e Kofi Annan.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva é condecorado pela ONU com o título de 'Campeão
Mundial na Luta Contra a Fome',no Palácio Itamaraty (Foto: Ricardo Stuckert / PR)
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condecorado nesta segunda-feira (10) pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o título de “Campeão Mundial na Luta Contra a Fome”. O Brasil sedia nesta manhã o Diálogo Brasil-África sobre segurança alimentar, com a participação de ministros da Agricultura de países africanos e representantes da ONU.

“Lula, você deu o que há de mais importante ao povo: esperança. O Brasil alcançou todos os objetivos do milênio. (...)”, disse a diretora-executiva do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA), Josette Sheeram, antes de entregar o prêmio ao presidente. Em seu discurso, ela citou programas do governo Lula, como o Fome Zero, e destacou que a luta contra a fome pode gerar crescimento econômico.

“Programas de combate à fome são um bom negócio, criam empregos e crescimento econômico. O Brasil demonstrou ao mundo que lutar contra a fome tem um significado econômico. O Fome Zero custa menos de 2% do orçamento nacional. Além disso, a luta contra a fome tem um sentido político positivo”, disse Sheeram.

A distinção “Campeão Mundial na Luta Contra a Fome” do PMA é entregue anualmente a lideranças que se destacam em combater a falta de alimentos no mundo. Entre os ganhadores anteriores do prêmio estão Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU e Robert Zoellick, presidente do Banco Mundial.

Na abertura do Diálogo Brasil-África sobre segurança alimentar, o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, defendeu a atual política externa brasileira, que valoriza as relações com países africanos. “Tenho certeza que a cooperação entre o Brasil e a África nos tornará mais fortes e capazes de combater distorções”.

Fonte: Do G1, em Brasília

LIGA DOS CAMPEÕES, Real vence Atlético nos pênaltis e conquista a 11ª Champions

O Madrid dominou o primeiro tempo, aguentou a pressão do Atlético no segundo, sobreviveu à prorrogação e, nos pênaltis, conseguiu o seu 11º título na história da Liga dos Campeões. O duelo marcou a reedição da final de 2014, quando os madridistas também saíram campeões, e marca a consagração do agora técnico Zinedine Zidane, que assumiu um time desacreditado no meio da temporada e chegou à conquista.

SAIBA MAIS: http://esportes.terra.com.br/futebol/internacional/liga-dos-campeoes

A partir deste domingo, 29 de maio, números de celular do Acre receberão nono dígito


Os números de celulares do Estado do Acre terão mais um número a partir  de deste deste domingo, 29 de maio de 2016. Para fazer ligações ou mandar mensagens de qualquer lugar, será preciso discar o 9 antes do número do telefone.

ATÉ QUE APARECEU UM PARA FALAR A VERDADE SOBRE O CONGRESSO NACIONAL. JUNGMANN: ‘O CONGRESSO CHEGOU AO FUNDO DO POÇO’


Ministro da Defesa do governo interino de Michel Temer, Raul Jungmann afirmou que, "no Brasil, a saída das crises é pela mão da política, via Congresso, ou então tem retrocesso"; "Desde a saída de D. Pedro (imperador do Brasil), que foi costurada por dentro do Congresso da época, chegando à saída do ciclo militar e à saída do Collor, todas foram produzidas essencialmente dentro do Congresso. O problema é que o Congresso hoje é um Congresso, em parte, de réus", disse; na avaliação dele, "se há inteligência no Congresso, e eu acho que há, todos sabem que chegou ao fundo do poço"; “Político que enriquece na política só tem um jeito: roubou"

28 DE MAIO DE 2016 ÀS 17:04

247 - "No Brasil, a saída das crises é pela mão da política, via Congresso, ou então tem retrocesso. Desde a saída de D. Pedro (imperador do Brasil), que foi costurada por dentro do Congresso da época, chegando à saída do ciclo militar e à saída do Collor, todas foram produzidas essencialmente dentro do Congresso. O problema é que o Congresso hoje é um Congresso, em parte, de réus", avalia o ministro da Defesa, Raul Jungmann. Para o ministro, “político que enriquece na política só tem um jeito: roubou. Eu estou dizendo isso aqui, gravado”.

Questionado sobre como se governa com um "Congresso de réus", o ministro do governo interino, Michel Temer, afirmou que, "se há inteligência no Congresso, e eu acho que há, todos sabem que chegou ao fundo do poço". "Todos sabem. E essa baixa representatividade, esses descolamento que existe, ele é um convite a salvadores da pátria, a profetas, a descaminhos. É só olhar a história dos países vizinhos, e mesma a nossa história. As lições estão todas lá", disse ele durante entrevista ao Estadão.

Conforme uma das gravações, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) propõe uma articulação para “estancar a sangria” da Lava Jato. Ao comentar sore o teor da conversa, Jungmann disse que não daria uma resposta dirigida ao ministro Jucá, porque não quer prejulgá-lo. "É muito simples: não cabe sufocar, inibir, atrapalhar, desviar, paralisar, evitar o andamento da Lava Jato", acrescentou. Para o ministro, “político que enriquece na política só tem um jeito: roubou. Eu estou dizendo isso aqui, gravado”.

Acusações 

Em 2006, o ministro já foi denunciado pelo Ministério Público Federal, em duas ações por improbidade administrativa, uma cível e outra penal, supostamente cometida quando era ministro da Reforma Agrária do governo Fernando Henrique Cardoso. Jungman afirmou que "a penal já foi definitivamente arquivada, em 8 de novembro de 2011, a pedido do próprio Ministério Público, que não viu solidez na acusação".

Outra ação, a cível, continua tramitando, seja na primeira instância, onde está suspensa, seja no Supremo Tribunal Federal, a quem o ministro recorreu pedindo prerrogativa de foro - neste caso, o relator atual é o ministro Dias Tofolli.

O ministro disse que "faz quase dez anos que está no Supremo, já passou por cinco relatores, sem uma decisão. A pior injustiça é não ter um julgamento da Justiça". "Fiquei refém dessa morosidade. Aguardo a decisão – e espero que tenha o mesmo fim da ação penal: o arquivamento, por ausência de qualquer irregularidade ou prejuízo ao erário. Mas cabe à justiça decidir", complementou.

Leia a íntegra da entrevista