Festival do abacaxi 2018


domingo, 24 de dezembro de 2017

“Gladson não é nem de longe o meu melhor candidato ao governo do Estado”, diz Bittar


O ambiente dentro da oposição não é nem perto de um clima de harmonia e união. Em um áudio que circula nas redes sociais o pré-candidato ao Senado Federal pelo PMDB, ex-deputado Márcio Bittar diz que o senador Gladson Cameli (PP) não é nem de longe seu melhor candidato ao governo. Bittar também diz que o presidente Michel Temer se encontra todo enrolado, mas vem concertando o Brasil.

Ex-deputado diz em áudio para seus amigos se animar e que ficar ruminando os problemas da oposição não irá levar a a lugar nenhum.Bittar diz que o problema está na esquerda, que chamou de “merda”. “O Gladson não é nem de longe o candidato que eu gostaria de ter, mas é o candidato que eu tenho para derrotar o PT. E é o meu candidato. Eu vou pedir voto pra ele. Já estou pedindo voto. Já lancei o cara tem dois anos e meio. Vamos ganhar a eleição para o Senado”, destaca Márcio.

Bittar diz ainda que tem hora que fica achando que estão querendo baixar seu alto-astral, e ressalta que está feliz da vida. “A gente cresceu pra caramba. Estava sozinho há um ano e não tinha um partido político. Hoje temos cinco partidos políticos me dando apoio total e irrestrito. Nós vamos ganhar a eleição e é com o Gladson, e com essa oposição do jeito que vocês conhecem ai. Então, a gente ficar emulando isso 24 horas não ajuda, mas tudo bem é só uma observação. Estou de bom astral, estou animado como sempre, otimista, com o Acre e o Brasil”, diz pré-candidato.

O ex-parlamentar depois de criticar a capacidade de Gladson também faz elogios ao presidente Michel Temer mesmo afirmando que Temer está todo enrolado. “Esse Michel Temer todo enrolado está concertando o Brasil. À reforma trabalhista foi um marco no Brasil. Acabou com a legislação fascista dos tempos de Mussolini na Itália. Modernizou as leis trabalhistas”, afirmou Márcio.

O pré-candidato também disse que estar torcendo para passar os três itens da reforma da previdência e destaca que não tem cabimento coronéis, governadores, políticos, professores se aposentar com 50 anos de idade. Bittar diz ainda em áudio, que ninguém aguenta isso e que tem 54 anos e não tem aposentadoria nem pensão, e também não pretende parar de trabalhar.

“Não tem cabimento a esmagadora maioria dos servidores públicos brasileiros se lascando por conta de 10% ou 15% dos servidores que ganham mais de 30, 40, 50 e 80 mil. Isso é um absurdo. Temos que estabelecer limites, teto que são as três medidas que foram lá para ser votadas. Estou torcendo para serem votadas. Por que o Brasil precisa dessa reforma. O Brasil está melhorando. Este ano que vem o Brasil cresce acima de 3% acima do PIB”, ressalta Márcio.

No final do áudio Bittar acresenta que o Brasil saiu de uma recessão considerada a maior da história e que se encontra animado com os amigos e partidos. “O resto a gente vai torando, ainda mais agora que vai chegando o natal”.

Nenhum comentário: