Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

sábado, 20 de janeiro de 2018

Gladson Cameli e Bispo Dom Joaquim representam o Acre na solenidade com o Papa



O senador Gladson Cameli (Progressistas) e o Bispo Dom Joaquim Pertiíñez representaram o Brasil e o estado do Acre no evento voltado aos Povos da Amazônia, com a presença do Papa Francisco em Puerto Maldonado, província de Tambopata, região de Madre de Dios, no sudoeste do Peru na manhã de ontem (19).

Cameli aproveitou para reforçar o seu compromisso com as prioridades religiosas voltadas para a defesa da vida. Ao lado de Carlos Chávez-Taffur Schmidt, assessor da embaixada peruana, o senador recepcionou a comitiva liderada peloo presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski e chegou bem perto do Papa Francisco.

“O Papa Francisco apresentou ao mundo um debate ambiental de apelo muito forte em defesa dos Povos originários da Amazônia. Alegre, motivado, ele continua dando exemplo de muita humilde, emocionou a todos nós durante sua permanência em Puerto Maldonado” comentou o senador.

A mensagem do maior representante da Igreja Católica, esteve voltada para a defesa da floresta amazônica e seus povos originários. Para Cameli, o forte apelo em favor dos indígenas precisa pautar o Senado Federal.

“Durante nossa viagem pela transoceânica, observamos muitas frentes madeireiras misturadas a pequenos povoados. Isso é preocupante. Sua santidade tem razão quando fala que essa região corre perigo, assistimos a fortes apelos dos representantes de mais de 350 comunidades, entre eles, representantes do Acre e Rondônia” acrescentou o senador.

Em Puerto Maldonado, o progressista conheceu o planejamento de preparação do Sínodo especial para a região pan-amazônica convocado pelo pontífice para outubro de 2019, destacando a importância do encontro em Puerto Maldonado.

“A decisão do Papa Francisco de fazer esse encontro na região Peruana, é um gesto significativo. Tenho absoluta certeza de que o forte apelo do sacerdote será um divisor de águas para a preservação do meio ambiente e dos intercâmbios culturais. Como disse Francisco, todo esforço pela vida na Amazônia é pouco”, concluiu o senador.

Nenhum comentário: