Contato: joaoregotk@hotmail.com -----68 99987-8418

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

MPAC tem uma mulher no comando da instituição pela quarta vez em 54 anos


Kátia Rejane vai chefiar a instituição no biênio 2018/2020

André Ricardo – O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) busca, aguerridamente, nesses 54 anos de história no estado do Acre, protagonizada por homens e mulheres membros, construir uma sociedade mais justa e democrática em direitos e oportunidades ao cidadão. Democracia esta que se busca e se consagra também internamente, com a quarta mulher a chefiar a instituição.

Trata-se da procuradora de Justiça Kátia Rejane de Araújo Rodrigues que, sob os aplausos de uma sessão solene prestigiada por membros, servidores, amigos, familiares, autoridades e personalidades locais e nacionais, foi empossada, pelo Colégio de Procuradores, no cargo máximo da instituição, o de procuradora-geral de Justiça. A cerimônia foi realizada nessa quinta-feira (25), no Teatro Plácido de Castro, em Rio Branco.

Encerrando oficialmente o seu mandato, o então procurador-geral de Justiça e presidente do Colégio de Procuradores, Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, presidiu o início da sessão.

Em um discurso emocionado e fundamentado em reflexões do rei Salomão e de Jesus Cristo, Oswaldo D’Albuquerque, dirigindo-se à Kátia Rejane, disse que o MP deve ser instrumento de Justiça, mas também de misericórdia e paz.

“Quero agradecer pelos frutos colhidos, pelas sementes plantadas. Minha eterna gratidão pela vida renovada que os senhores e senhoras me permitiram viver. Por isso, não cansarei de dizer jamais: Gratidão é a memória do coração e mãe de todas as virtudes. Que Deus te abençoe, minha querida amiga Kátia Rejane.
A cerimôniaMembros do Conselho Superior do Ministério Público do Acre

A solenidade foi harmonizada pela trilha sonora do coral de crianças e adolescentes do Conservatório Musical do Vale do Juruá, Musicalizando Pessoas com Amor, e da Banda Soul Jazz, que entoaram o Hino do Ministério Público do Estado do Acre; uma apresentação étnico-cultural musical em idioma nativo da Tribo Indígena Puyanawas, com a realização de um ato simbólico com a entrega de um arco e flecha, alusivo à chegada iminente de uma nova autoridade; e uma apresentação artística da diretora-presidente da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour, atriz Karla Martins.

Na ocasião, a empossanda no cargo de procuradora-geral, posicionada de pé e voltada à mesa de honra, declarou o compromisso regimental e o juramento, e procedeu com a devida assinatura do termo de posse.

A partir de então, Kátia Rejane, recém-empossada, conduziu a sessão solene, oficialmente, como procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre e presidente do Colégio de Procuradores do MPAC, dando posse aos novos corregedor-geral, procurador Celso Jerônimo; e integrantes do Conselho Superior do MP acreano, procuradores Carlos Maia, Álvaro Pereira e Sammy Barbosa. As novas posses e composições fazem parte do ciclo de gestão institucional referente ao biênio 2018/2020.

Com méritos de sobra, Kátia Rejane executou dois ciclos virtuosos, à frente da Corregedoria Geral do MPAC, com um trabalho pautado sempre nas prerrogativas da retidão, responsabilidade pública e zelo institucional, suplantando temores e obstáculos que lhe foram impostos na caminhada.

Na ocasião, ela garantiu que não economizará esforços para que o MP acreano continue uma instituição de vanguarda, deixando um legado histórico de desbravamento, conquistas e superação de desafios, mostrando a todos um Ministério Público que orgulha seu povo, edificado na promoção da justiça social e da garantia do bem-estar da sociedade acreana.

“Essa gestão que se inicia no Ministério Público do Estado do Acre visa aprofundar e consolidar os programas, projetos, processos e competências voltadas à excelência institucional, já em andamento, bem como, fomentar e modernizar outras áreas e setores do nosso Parquet, que refletem diretamente o bem-estar social, os quais respondem às demandas emergenciais da comunidade”.

Ainda segundo ela, o Ministério Público é uma referência e um porto seguro para a sociedade, um sustentáculo para ouvir o clamor das ruas, pois ao aproximar-se do cidadão, impulsiona o desenvolvimento social e a pacificação de conflitos sociais.

“O grande desafio para nossa gestão é garantir a manutenção da essência do planejamento e das grandes conquistas efetivadas, promover ajustes necessárias e a avaliação do que já foi realizado. Aliado a isso, devemos impulsionar um salto de qualidade nas ações que beneficiam diretamente o cidadão, por meio de investimentos precisos em áreas estratégicas”.
Perfil da nova PGJ

Aos 51 anos, Kátia Rejane tem nas mãos a liderança de umas das instituições mais confiáveis e de maior credibilidade no estado. Ingressou na carreira do Ministério Público em 1996, atuando na comarca de Xapuri. Atuou, também, como promotora especializada de Defesa da Infância e Juventude até 2010, quando foi promovida a procuradora de Justiça e assumiu, então, o cargo de procuradora-geral adjunta para Assuntos Administrativos e Institucionais. Desde 2014, esteve à frente da Corregedoria Geral do MPAC, de onde sai, agora, para ocupar a cadeira de chefe da instituição.

Mulher reservada e adepta a longas jornadas de trabalho, Kátia Rejane é refinada com sólida formação jurídica. Diante de obstáculos sobrepostos pelo caminho, não é de desistir, nem retroceder, como mulher forte que a vida lhe forjou a ser.

Paciência e persistência são algumas virtudes atribuídas a ela. Quem convive com Kátia Rejane, diariamente, já é perito em identificar, por exemplo, os momentos de irritação eventuais em alguns sinais sutis, quer por meio das bochechas levemente avermelhadas, quer pelas batidas de salto de sapato mais firmes nos assoalhos das escadas e corredores do MP.

À frente da Corregedoria Geral por quatro anos, notabilizou-se pelo diálogo, mas, também, pela renovação de um perfil resolutivo, intensificando orientações e fiscalizações, o que otimizou o acompanhamento das atividades funcionais dos membros com a devida ética e dignidade.

Apesar de candidata única, Kátia não deixou de fazer campanha nas unidades ministeriais, expondo suas propostas com o objetivo de fazer valer cada voto. Passou pela aprovação, em eleição, dos membros do MPAC no dia 30 de novembro de 2017, onde foi escolhida por mais de 95% de aprovação. A partir de então, seu nome foi enviado ao governador Sebastião Viana, que chancelou sua escolha.
Prestígio

Além do Colégio de Procuradores, compuseram a mesa de honra, o governadora do Estado do Acre em exercício, Nazareth Araújo; a primeira dama, Marlúcia Cândida; o presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado estadual Ney Amorim; a presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, Denise Bonfim; além do corregedor nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel; o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Acre, conselheiro Valmir Ribeiro; o desembargador Samoel Evangelista, representando o Tribunal Regional Eleitoral (TRE); a vice-prefeita de Rio Branco, Socorro Neri; a defensora pública-geral do Estado do Acre, Roberta Melo; e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Acre, Marcos Vinícius Jardim.
Agência de Notícias do MPAC

Nenhum comentário: