Festival do abacaxi 2018


quarta-feira, 14 de março de 2018

GUARDA DE DORIA AGRIDE PROFESSORES EM SÃO PAULO


Professores da rede municipal de ensino na capital paulista protestam na Câmara Municipal, onde acamparam, contra a reforma da previdência do governo João Doria (PSDB), que afeta mais de 200 mil servidores; os manifestantes foram atacados covardemente pela Polícia Militar de Geraldo Alckmin (PSDB) e pela Guarda Civil Municipal com uma força desproporcional; agentes bateram com cassetetes dentro da Câmara; a greve já atinge 93% das escolas da capital; confira vídeos do protesto e das agressões
Audima
SP 247 - Professores da rede municipal de ensino na capital paulista foram agredidos de forma brutal nesta quarta-feira 14 por policiais militares e por guardas civis municipais enquanto protestavam contra o desmonte da Previdência de São Paulo.

Em greve, os docentes reagem à proposta de reforma da Previdência do prefeito João Doria (PSDB), que afeta mais de 200 mil servidores, de diversas categorias. A paralisação já atinge 93% das escolas da capital.

Os servidores amanheceram acampados em frente à Câmara Municipal de São Paulo. Nesta manhã, centenas de funcionários públicos ocuparam a Casa, onde tramita na CCJ o PL 621/2016, que cria obstáculos ao acesso dos servidores municipais à aposentadoria.

Fotos mostram professores feridos e chão com sangue. Os agentes usam cassetetes dentro da Câmara. Confira vídeos do protesto e das agressões:

ABSURDO! Professores municipais de SP são atacados covardemente na Assembleia de SP com bombas de gás por serem contra o Projeto de Lei (PL) 621/2016 de João Doria que dificulta seu acesso a aposentadoria. 
A medida irá afetar mais de 200 mil servidores públicos da cidade. pic.twitter.com/SjN7mTN8Pb— Mídia NINJA (@MidiaNINJA) 14 de março de 2018

Nenhum comentário: