01/05/2018

MODA: Mamilos de fora marcam presença como protesto pela liberação do corpo


Empoderamento feminino e direito de autonomia sobre o próprio corpo chegam à SPFW

Oempoderamento feminino e o direito da mulher de manter a autonomia sobre seu próprio corpo —independente do espaço social que ele ocupe— chegaram à São Paulo Fashion Week.

As marcas que têm mostrado seu verão 2019 nesta edição 45 do evento aderiram ao movimento internacional “Free the Nipple” (“Liberte o mamilo”, em tradução livre).

O “Free the Nipple” é fruto das discussões promovidas por movimentos feministas ao redor do globo. Suas primeiras manifestações foram vistas no último ano nas passarelas e no estilo pessoal de figuras icônicas da moda, como Kendall Jenner.

A modelo mais bem paga do mundo transformou o mamilo livre em marca pessoal nos EUA, tanto que chegou a motivar mulheres a procurar procedimentos estéticos em clínicas para copiar sua silhueta livre de sutiã.

Mamilos sensuais à mostra

Desfile da Projeto Ponto Firme Andre Penner/Associated Press

Desde o início do ano, o mamilo reapareceu nos desfiles de Alberta Ferretti, na semana de moda de Milão, e na de Isa Arfen, durante a Fashion Week londrina, entre outras.

No Brasil, seus efeitos foram sentidos já no Carnaval 2018, quando estrelas como Cleo Pires, Anitta e Bruna Marquezine usaram recortes reveladores, adesivos e até transparências que deixavam à mostra a silhueta dos seios.

A escolha de Bruna, aliás, suscitou uma discussão importante sobre liberdade e padrões, já que houve quem dissesse que seus seios estavam flácidos e que, por isso, ela não deveria ter optado pelo top de cristais para curtir um bloco de rua no Rio.

Reinaldo Lourenço, Osklen, Lilly Sarti, Samuel Cirnansck e Projeto Ponto Firme foram algumas das marcas que fizeram coro aos esforços de eliminar a sexualização massiva do corpo feminino ao banalizar a presença do mamilo na passarela em modelos com transparências ou recortes reveladores. Com informações de Folha Uol.

Nenhum comentário: