10/06/2018

Juventus de Feijó não viaja para disputa da Taça Brasil em Teresina e recebe punição

Equipe que esperava levar uma delegação com 14 integrantes só conseguiu seis passagens. Presidente lamenta dificuldades de se conseguir apoio, mas aceita multa e suspensão

Por Diego Torres, Rio Branco, AC

Equipe do Juventus de Feijó, vice-campeão do estadual de futsal de 2017 (Foto: Fafs/divulgação)

O Juventus de Feijó ficou com a vaga acreana na disputa da Taça Brasil de Futsal, que acontece em Teresina (PI), entre os dias 10 e 16 de junho, após a desistência do atual campeão acreano, Big Bran.

Os Juventinos assumiram a responsabilidade e se comprometeram a participar da competição, sabendo que em caso de não comparecimento, seriam punidos com uma multa de R$2 mil e uma suspensão de dois anos sem porder participar de campeonatos nacionais. O presidente do clube, Genival Campos, chegou a garantir que mesmo com apenas seis passagens o grupo viajaria.


Porém, a missão não foi cumprida, e a equipe feijoense não embarcou na noite do último sábado (9), rumo à capital Piauiense, como previsto.

– Infelizmente tivemos que desistir, só conseguimos seis passagens e não tínhamos condições de disputar a competição assim. Fora que todas as despesas ainda teriam que ser custeadas por nós mesmos como hospedagem, alimentação e tudo mais – disse o presidente da equipe, Genival Campos.

Para Genival, a multa não é justa, porém o mandatário aceita, já que já sabia das condições antes de tentar a empreitada.

– Não é justa porque não recebemos nenhum aporte financeiro nem da confederação e nem da federação. Não recebemos nada, ainda temos que bancar toda a viagem, e se não conseguimos, temos que pagar por não ter conseguido. Já não temos dinheiro pra ir, e agora ainda, teremos esse prejuízo. Tivemos sorte que não pagamos a inscrição que era de R$3,5 mil, se não o prejuízo seria maior. Porém, já sabíamos das condições quando aceitamos participar, então é assim mesmo. Só estamos no esporte até hoje por amor - disse.

Além do lamento, o presidente do clube também faz um desabafo sobre a falta de apoio.

– Eu costumo dizer que aqui no Acre os clubes fazem o campeonato para a federação. Temos que arcar com tudo, até com a abitragem, que as vezes chega a mil reais por partida – desabafou.

A redação do Globoesporte.com/ac tentou contato com a Federação Acreana de Futebol de Salão (Fafs), mas até o fechamento da matéria não obteve retorno.

Nenhum comentário: