14/08/2018

Plano de Governo de Gladson tem 161 páginas, 14 delas dedicadas à Segurança Pública


Das 161 páginas do Plano de Governo da chapa Mudança e Competência, encabeçada pelo senador Gladson Cameli, candidato a governador do Acre pelo Progressistas, 14 são dedicadas ao setor de Segurança Pública do Acre, tema que deve nortear a campanha eleitoral de 2018 não só pela escalada da violência em si, mas pelos vices da duas principais chapas majoritárias, o delegado Emylson Farias (PDT), ex-secretário de Segurança do governo de Sebastião Viana, que integra a chapa encabeçada pelo petista Marcus Viana, e Major Rocha (PSDB), vice de Gladson.

O Plano de Governo do candidato progressista para a Segurança é recheado de números e estatísticas oficiais sobre homicídios no Acre nos últimos anos, comparativos, quantidade de efetivos e possíveis soluções, orçamento, investimentos e atual número de encarcerados no Estado. Colaboraram com as sugestões ao setor, o sargento Joelson Dias, da Polícia Militar do Acre, que também é presidente da Associação dos Militares, e Sangelo Rossano de Souza.

O projeto traz como uma das possíveis soluções a criação de um Centro Integrado de Inteligência Estadual (CIIE), coordenado por um conselho formado por representantes das polícias Estaduais e Federais, sob a presidência do secretário de Segurança Pública do provável governo de Cameli. Esse centro tem aparado em uma lei estadual já existente.

Tal qual o governo de Sebastião Viana, o plano de Gladson reconhece a imediata necessidade de policiamento nas fronteiras entre o Acre, o Peru e a Bolívia.

– Uma dimensão das mais relevantes do problema da Segurança Pública no Acre é a inexistência da fiscalização em nossas divisas territoriais, com os países e estados vizinhos (Amazonas, Rondônia, Bolívia e Peru). Este problema requer uma ação junto á união no sentido de contribuir na elaboração de uma politica pública nacional de fiscalização das fronteiras.

O plano sugere a instalação de câmeras nas 04 pontes que fazem a ligação entre o 1º e 2º Distrito que possam em tempo real realizar a leitura de placas veiculares e informarem a rede de segurança se um veículo roubado passou por uma delas.

O candidato prevê ainda investimento em inteligência policial, além da reimplantação da filosofia do policiamento comunitário, que foi colocado em prática no governo do petista Jorge Viana por meio do Polícia da Família.

Há ainda projetos de melhoria nos serviços de monitoramento e inteligência, modernização tecnológica e aquisição de equipamentos.

O plano traz críticas ao atual governo ao afirmar que “não houve por parte dos órgãos de segurança o cuidado de analisar a dinâmica dos crimes. A prática delituosa contra vida que, em sua maioria, era realizado pelo consumo de álcool em bares e na periferia ganhou novos contornos com o tráfico de drogas, fato que se registra também nos motivos de aberturas de inquéritos e condenações nos últimos anos”.
Plano de Governo com cinco princípios

Entregue digitalizado via pendrive na quinta-feira da semana passada pela assessoria jurídica de Gladson Cameli ao Tribunal Regional Eleitoral, o Plano de Governo do candidato informa cinco pontos fundamentais de um eventual governo do progressista: Modelo crescimento econômico baseado na geração de riqueza; cuidado com o meio ambiente; ajuste das contas públicas; valorização do servidor público; e resgate dos valores da família.

Esses, segundo a introdução do plano, “são os princípios servem como pontos importantes sinalizando o comportamento do governo frente aos principais problemas que a sociedade acriana passa, depois de quase 20 anos de governo descompromissado com o crescimento econômico e a geração de riquezas”.

Nenhum comentário: