quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Alan vai a PF por Fake News lunática



Tem gente que não entende que a política não se decide mais criando falsas notícias na reta final da campanha. Estamos em época de redes sociais em que tudo é esclarecido em tempo real. O deputado federal Alan Rick (DEM) esteve ontem na Polícia Federal registrando uma queixa contra uma Fake News sem pé e nem cabeça que adversários soltaram ao seu respeito, o vinculando de estar envolvido na “Operação Hefesto” da PF, que investiga a empresa de publicidade da candidata à deputada federal Charlene Lima (PTB), que se encontra presa. E que só não foi ouvido a pedido de seus advogados. É uma notícia tão verdadeira como uma nota de 300 reais. O pessoal que gosta de soltar Fake News nas redes sociais é bom saber que, a PF tem meios de chegar facilmente ao celular ou computador em que a falsa informação foi gerada. E sem falar que isso é crime. O acontecido deve ser debitado na conta do desespero político. Isso vai dar um problemão para o autor da informação inverídica.

PARA SER JUSTO
De cara: não voto em nenhum candidato do PCdoB. Mas, como jornalista, eu tenho de ser justo. A moça que aparece de camisa manga longa verde, com adesivos e dando santinhos do candidato a deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) não é do DEPASA, como quem enviou a foto aos meios de comunicação informou. Verdade fosse estaria encampando a denúncia ao MPE. UMA BARRA PESADA Uma barra pesada a chapa MDB-PSD. Eliane Sinhasique (MDB), Roberto Duarte (MDB), Meire Serafim (MDB), Antonia Sales (MDB) e Jairo Carvalho (PSD). Fará dois deputados. Antonia Sales é vaga garantida. A briga pela segunda vaga é embolada e difícil de apontar quem abiscoitará.


DE CARA FICA FORA
De cara quem vier na chapa do MDB–PSD com menos de cinco mil votos estará fora do jogo. Tenho encontrado muitos votos do Roberto Duarte (MDB) e conheço a poderosa estrutura de campanha da Meire Serafim (MDB). E sem medo de errar: não será nada fácil derrotá-los.

PARA SE TER UMA IDEIA
Para o leitor ter uma idéia da estrutura da Meire Serafim (MDB), mulher do prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim; ela tem 35 vereadores, o ex-prefeito de Senador Guiomard, James Gomes, deputado Chagas Romão e uma legião de cabos-eleitorais na sua campanha.

SINTOMAS CLAROS
A experiência jornalística de dezenas de campanhas me ensinou a reconhecer quando uma candidatura majoritária desabou. São sintomas claros: notícias falsas, pesquisa montada à véspera da eleição para tentar macular as verdadeiras, ataque pessoal ao adversário, atribuição de fatos criminosos inexistentes, quando tudo se soma é sinal que foi para o vinagre. No Acre, é interessante, você sente quando um candidato decola na vontade popular.

NÃO ADIANTA
Quando um candidato decola no povão, não adianta fazer apelações de nenhum tipo.

OUTRA BARRA PESADA
A segunda barra pesada desta eleição é a chapa PODEMOS-PRB-PROS. São seis deputados disputando duas ou no máximo três vagas. Maria Antonia (PROS), Heitor Junior (PODEMOS), Raimundinho da Saúde (PODEMOS), Josa da Farmácia (PRB), André da Farmácia (PRB) e Juliana Rodrigues (PRB). Todos com as estruturas dos seus gabinetes. Complicado para todos.

TERCEIRA BARRA PESADA
A terceira barra pesada desta campanha é a coligação PT-PCdoB: deputados Jonas Lima (PT), Daniel Zen (PT), Lourival Marques (PT), Leila Galvão (PT), Jenilson Lopes (PCdoB), vereador Jackson Ramos (PT) e ex-deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB). A lógica é eleger três.

UM FATO CERTO
O que se pode dizer de concreto da coligação PT-PCdoB é que o PT não repetirá mais a composição de quatro deputados como atualmente. O PCdoB vai beliscar uma das vagas.

BAIXAS CERTAS
O PT terá também baixas certas na sua representação na Câmara Federal. A chapa PT-PCdoB-PSB tem como candidatos Raimundo Angelim (PT), Léo de Brito (PT), Sibá Machado (PT), César Messias (PSB) e Perpétua Almeida (PCdoB). O PCdoB ou o PSB ficará com uma das vagas.

NADA PRIVILEGIADOS
Quem concorre á reeleição a deputado federal no PT com condições menos privilegiadas são os deputados federais Sibá Machado (PT) e Raimundo Angelim (PT). O grosso das secretarias com mais estruturas está todo na campanha do deputado federal Léo de Brito (PT).

OPINIÃO DE UM EXPERT
Conversando ontem com uma das figuras de primeira linha na campanha do MDB, ele traçou o seguinte quadro no chapão para a Câmara Federal, numa projeção do que vê nos municípios: “a Jéssica Sales e o Flaviano Melo estão sedimentados. E num bolo, brigando por duas outras vagas; pela ordem, Alan Rick, Vanda Milani, Mara Rocha e Antonia Lúcia”. Não discuto opinião.

COLOCARIA MAIS CANDIDATO
Só lembrando que a opinião acima não está ancorada em nenhuma base científica. É apenas uma visão de um dirigente que tem ido aos atos de campanha em todos os municípios. Fora os nomes citados pelo cacique do MDB, existem outros candidatos no chapão nada desprezíveis.

BRIGAR PELAS DUAS VAGAS
A oposição somente veio conseguir a unidade em torno dos dois candidatos a senadores, nesta reta final de chegada. Foi selado um pacto entre os candidatos Sérgio Petecão (PSD), Gladson Cameli (PROGRESSISTA) e Major Rocha (PSDB) de colar o nome do Márcio Bittar (MDB) em todos os atos políticos daqui em diante, para tentar ficar com as duas vagas do Senado.

EUFORIA GERAL
As novas pesquisas internas da oposição estão deixando seus dirigentes em completa euforia.

QUEM DIRIA?
Uma figura expressiva da FPA distribuiu santinhos em Cruzeiro do Sul sem nomes dos candidatos a governador e senador. Apenas com o seu e de um deputado daquela região. Por tudo o que já foi nos governos petistas, isso é no mínimo uma deslealdade.

DEPUTADO COMBATIVO
O deputado Luiz Gonzaga (PSDB) vai fechando o mandato como sendo um dos mais combativos contra o governo petista, na ALEAC. Um seu diferencial é que nunca faz uma denúncia na tribuna que não tenha provas. Foi o terror das obras inacabadas do governo.

PODE FICAR COM UM
Caso a cúpula do PT não democratize os espaços do governo no apoio aos atuais deputados federais, a brincadeira pode acabar com o partido perdendo dois dos atuais parlamentares.

NÃO SÃO MOSCAS
O PT erra se avalia que as candidaturas do César Messias (PSB) e Perpétua Almeida (PCdoB) à Câmara Federal são de duas moscas mortas. Nenhum deles pode ser menosprezado.

TIRO DA MACACA
Esta eleição é o tiro da macaca para o PCdoB. Para voltar a ser respeitado na FPA tem que eleger dois deputados estaduais um federal, missão não impossível, mas pouco provável.

MAIORIA ESMAGADORA
Falo de cátedra do que conheço do parlamento acreano de décadas. Caso o Gladson Cameli (PROGRESSISTA) venha ganhar a eleição, não terá a menor dificuldade de formar uma maioria na ALEAC. Os que forem eleitos pelos partidos nanicos da FPA pularão cedo para sua canoa.

TERMINANDO EM BAIXA
O atual governador está terminando o seu mandato em baixa na ALEAC, aonde sofreu derrotas importantes como não conseguir terceirizar unidades de saúde, também no caso do PRÓ- SAÚDE, abandonado pela própria base. Nunca vi isso ocorrer na ALEAC em um governo petista.

CANDIDATO PERIGOSO
O médico Jenilson Lopes (PCdoB) não estava em nenhuma lista de possíveis eleitos para a Assembléia Legislativa. E ganhou a eleição. Disputa agora a reeleição com um mandato e mais estruturado. Seus adversários da chapa PT-PCdoB, não minimizem sua candidatura!

MUITO BEM VOTADO
Converso com muita gente. Com candidatos em campanha de todos os partidos, com dirigentes políticos, o que me leva a fazer a projeção de que o candidato ao Senado, Minoru Kinpara (REDE), terá uma votação altamente expressiva na capital, aonde é conhecido.

CALCANHAR DE AQUILES
O Calcanhar de Aquiles do Minoru Kinpara são os municípios do interior. Mas não é boi indo para o matadouro. Também tem buscando votos nas brenhas. A sua agenda registra reunião na comunidade São Paulino e ramais da região entre Sena Madureira e Manuel Urbano.

APOIO IMPORTANTE
Quem está direto na campanha do candidato ao Senado, Sérgio Petecão (PSD), em Cruzeiro do Sul, é a viúva do ex-governador Cameli, Bety Cameli, pessoa muito querida na cidade. E com absoluta certeza tem colaborado para o fato dele aparecer bem nas pesquisas no município.

MEGA-SENA POLÍTICA
Sérgio Petecão (PSD) acertou na Mega-Sena política ao escolher a ex-deputada Maria das Vitórias (PSD), viúva do ex-deputado federal João Tota, para ser a sua primeira suplente. Vitória é outra figura querida em Cruzeiro do Sul e tem a bagagem de várias campanhas.

TÃO IMPORTANTE
Tão importante foi a escolha da engenheira Maria Alice (MDB) para sua segunda suplente. Ela conseguiu jogar o MDB na sua campanha, o que favoreceu muito o Sérgio Petecão (PSD) no partido, que antes não o apoiava em peso a sua candidatura.

NÃO ESTÁ SÓ NO JURUÁ
É um equívoco pensar que a candidatura do Rudiley Estrela (PROGRESSISTA) está restrita ao Juruá. Fechou parcerias na capital que podem lhe render muitos votos. Está bem assessorado.

CONTEXTOS DIFERENTES
Os governadores do PT nos últimos vinte anos disputaram a eleição montados na grana, com a FPA unida, candidatos da oposição que não tinham a simpatia da população, o PT na presidência, enfim, era o tempo de vagas gordas. Marcus Alexandre (PT) disputa num quadro negativo: o governo com baixa popularidade, tempo de vacas magras, de desemprego, muita violência, PT sem o governo federal, e tendo que enfrentar um candidato da oposição com grande popularidade e que caiu na graça do eleitor. Por isso não se pode comparar a campanha que o Marcus toca com as dos ex-governadores petistas. Nesta eleição, o fato de ser do PT conspira contra o Marcus Alexandre. Nenhum outro teria chegado aonde chegou até aqui.

Nenhum comentário: