19/09/2018

Gladson Cameli mantém vantagem em todas as regiões do Acre, diz pesquisa

O candidato ao Governo do Acre pela coligação Mudança e Competência, Gladson Cameli (PP), mantém vantagem sobre Marcus Alexandre (PT) em todas as regiões do Estado. É o que aponta a pesquisa Real Time Big Data/Record TV feita no Vale do Acre, Vale do Juruá, incluindo Rio Branco e Sena Madureira, o maior e o terceiro maior colégio eleitoral.
Comparada à pesquisa anterior, feita no fim de agosto, o petista teve maior crescimento no Vale do Acre. Mas, ainda está atrás de Cameli em 10 pontos percentuais. Antes, a diferença de Gladson na região era de 20 pontos. Agora, caiu para 10 pontos percentuais.
No geral, o quadro comparativo confere vitória a Gladson Cameli, com crescimento de três pontos percentuais: na pesquisa divulgada no dia 30 de agosto, marcou 40% das intenções de voto. Agora, consolida 43%.
Gladson está à frente de Marcus Alexandre em todos os cenários, incluindo voto espontâneo, voto estimulado. Caso se avalie apenas os votos válidos (excluindo os brancos/nulos e indecisos), existe a possibilidade de que Cameli vença ainda no primeiro turno.
Marcus Alexandre continua tendo desempenho melhor entre os eleitores jovens e perdeu terreno entre os eleitores com mais de 60 anos, onde tinha ligeira vantagem. Entre os jovens, Gladson tem desvantagem, mas ganhou votos entre os mais velhos.
A pesquisa ouviu 1,2 mil pessoas ontem (17) em 13 municípios envolvendo todas as regiões do Estado do Acre. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%. Isso significa que, contabilizadas as margens de erros, a possibilidade de acerto dos números é de 95%. A pesquisa está registrada no TSE com o número: AC – 00838/2018.
O candidato petista ao Governo do Acre, Marcus Alexandre, tem a maior rejeição, aponta a pesquisa Real Time Big Data/Record TV. De acordo com a sondagem feita em todas as regiões do estado, o candidato do PT é rejeitado por 42% dos eleitores.
Janaína Furtado, da Rede Sustentabilidade, tem a segunda maior rejeição, com 33% dos eleitores afirmando que não votaria nela em nenhuma hipótese. A terceira maior rejeição é de Gladson Cameli, com 32% dos votos.
Ulysses Araújo, o candidato de Bolsonaro no Acre, tem 25% de rejeição. O de menor rejeição nominal é David Hall, com 18%. Lembrando que o candidato do Avante não pontuou em nenhuma das sondagens feitas pelo Real Time Big Data/Record TV.
VOTO ESTIMULADO*
Gladson Cameli 43%
Marcus Alexandre 35%
Coronel Ulysses 9%
Janaína Furtado 1%
Nulo/Branco 6%
Indecisos 6%
*David Hall, não pontuou
VOTO ESPONTÂNEO
Gladson Cameli 31%
Marcus Alexandre 25%
Coronel Ulysses 3%
Outros 1%
Nulo/Branco 7%
Indecisos 33%
VOTO COMPARATIVO
Candidato 30/ago 17/set.
Gladson Cameli 40% 43%
Marcus Alexandre 36% 35%
Coronel Ulysses 10% 9%
Janaína Furtado 2% 1%
David Hall 0% 0%
Nulo/Branco 6% 6%
Indecisos 6% 6%
VOTO POR REGIÃO
Rio Branco Vale do Acre Vale do Juruá
Gladson Cameli 41% 44% 45%
Marcus Alexandre 39% 31% 32%
Coronel Ulysses 10% 7% 9%
Janaína Furtado 2% 1% 1%
David Hall 0% 0% 0%
Nulo/Branco 4% 8% 6%
Indecisos 4% 9% 7%

Petecão e Jorge mantêm preferência

A pesquisa Real Time/Big Data aponta que Petecão e Jorge Viana têm a preferência do eleitor. A intenção de voto de 43% dos eleitores é de votar em Petecão. O petista Jorge Viana tem 40% da preferência do eleitorado.
Marcio Bittar, do MDB, vem em terceiro com 27% das intenções de voto. Minoru Kinpara está com 14% e Paulo Pedrazza em último com 3%. Indecisos somam 25%. Brancos e nulos para o segundo voto ao Senado são 5% e para o primeiro voto 10%.
VOTO COMPARATIVO (SENADO)
Candidato 30/ago. 17set.
Petecão 34% 43%
Jorge Viana 39% 40%
Marcio Bittar 30% 33%
Ney Amorim 27% 27%
Minoru Kinpara 16% 14%
Paulo Pedrazzza 2% 3%
Nulo/Branco 1 8% 5%
Nulo/Branco 2 16% 10%
Indecisos 27% 22%
O candidato petista ao Senado Jorge Viana lidera em rejeição: 45% do eleitorado não vota nele de forma alguma. O segundo com maior rejeição é Ney Amorim, também do PT, com 38%. Petecão vem em terceiro com 31%. Marcio Bittar vem na sequência com 30%. Paulo Pedrazza tem rejeição de 24% dos eleitores e Minoru Kinpara tem a menor rejeição, com 22%.

Nenhum comentário: