21/09/2018

Polícia Federal faz perícia em computadores apreendidos na Aleac

Polícia Federal está periciando, desde a segunda-feira, dia 17, dois computadores apreendidos no setor administrativo da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), no âmbito da Operação Hefesto, que investiga o desvio de recursos público mediante contratos de publicidade entre a Casa das Leis e uma empresa do ramo.

Ao todo, nove pessoas foram presas, sendo que destas, três foram liberadas pelo Judiciário. Atualmente, sete pessoas continuam presas, e não há previsão de que sejam liberados. A informação foi passada por uma fonte da Polícia Federal, ligada às investigações. A fonte afirma que várias diligências ocorrem desde as apreensões.

As investigações correm tão rapidamente, que 24 horas horas o início das perícias, dois servidores da Aleac foram presos, sendo ambos os funcionários ligados diretamente ao presidente da Casa, deputado Ney Amorim (PT), candidato ao Senado pela Frente Popular. Os servidores teriam, segundo a investigação, ligação com a empresária também presa.

A segunda fase da Operação Hefesto, nomeada de Hora Extra, além de prender os dois chefes da Aleac, aponta que a dupla atuava para obstruir o trabalho da Justiça, acutando provas que evidenciariam os desvios de recursos sob os contratos firmados com o Poder Legislativo. Contrato este que já foi suspenso pela Mesa Diretora.

Como contou o ac24horas na terça, um dos envolvidos está afastado, em licença, e o outro está em férias. Entretanto, no mesmo dia da deflagração da operação Hefesto, os dois foram até a Aleac, em horário fora do expediente, de onde saíram levando volumes e mochilas da repartição pública.

Nenhum comentário: