14/10/2018

Coluna Bom Dia de Domingo 14 de Outubro

Constatação
O fim de semana foi marcado pela constatação dura e elucidativa da entrevista do senador Jorge Viana para a Folha de S. Paulo. O senador derrotado abriu o verbo, sem censura e reconheceu que, no ACre, o PT perdeu as eleições por seus próprios erros.
Soberba
Jorge Viana disse que havia alertado o partido. Suas palavras foram ríspidas: “Eu falei: não é hora de a gente querer ganhar tudo, temos que ter humildade”, e a decisão  foi de querer ganhar tudo, as duas vagas do senado, o governo, bancada enorme. E o resultado foi péssimo, mas não é hora de apontar culpados. Agora tem que dar tempo ao tempo”.
Corrupção
Jorge Viana também disse que “eu nunca deixei de ver que nós temos uma falha no PT que é de não reconhecer claramente que membros do nosso partido ou aliados praticaram corrupção”.
Bomba
A declaração do senador é mais uma bomba a explodir no quintal do PT e da frente Popular, dessa vez dita pela pessoa que foi o grande organizador da Coligação, 20 anos atrás. É bem verdade que, na entrevista, Jorge Viana ressaltou os grandes avanços que o PT e a frente Popular deixam no Acre, em seu governo, no de Binho o Marques e de Tião Viana, mas é muito interessante ver o nível de racionalidade e de tranquilidade de Jorge para avaliar a eleição.
Único
A coluna já havia vi á tempos, destacado que o Acre foi o único estado em que o PT havia abarcado os principais cargos em disputa, na coligação. Por exemplo, no Piauí, onde Wellington Dias conseguiu a vitória em primeiro turno pelo PT, nenhum dos dois senadores eleitos era do partido. O mesmo aconteceu no Ceará, com exceção da Bahia, onde o PT teve o governador e um Senador. Um candidato ao governo e dois ao Senado, no Acre.
Fatal
Pela análise de Jorge, esse foi um dos pontos em que a soberba se mostrou fatal. Hoje se sabe que havia falta de diálogo dentro da Coligação. A frente Popular apontava problemas na Coligação de oposição e escondia seus próprios infortúnios. O resultado é que Gladson Cameli teve uma aliança forte e coesa e a Frente Popular caiu pelas tabelas.
Racional
A prefeita Socorro Neri também fez uma análise muito ponderada e racional das eleições. Ela lamentou muito que o deputado César Messias, em especial, não tivesse sido eleito e alertou para a necessidade de mudanças no formato dos que hoje compõem a Frente Popular no Acre. Partidariamente, disse que está à disposição para ajudar no projeto.
Ponderada
A prefeita foi extremamente ponderada em suas avaliações e disse que é necessário, dar um tempo para que as opiniões se solidifiquem e que se tenha um quadro mais abrangente da situação, ´para tomar qualquer decisão. Sábias palavras. A prefeita Socorro Neri deve ser uma das principais interlocutoras para a montagem da nova estrutura de centro-esquerda.
Gladson
Já o governador eleito Gladson Cameli deu entrevista à imprensa no final de semana e também foi destaque pelas suas posições moderadas. Gladson tem provado que faz jus às suas declarações  de que desceu do palanque e que pretende governar para todos. Mostra respeito às posições contrárias e até aos derrotados. Mas reafirma a vontade férrea de fazer mudanças.
Sem perseguição
Destaca-se nas primeiras falas de Gladson Cameli à disposição de dizer que acabou no Acre a era das perseguições políticas. Chega a prometer que, se encontrar um secretário tentando forçar um servidor a balançar Bandeira para seu partido, o secretário será demitido. Exagero à parte, é muito salutar ver essa posição reafirmada. Gladson tem provado que é um Democrata.
Sem interferência
Outro. Interessante é que o governador eleito disse que, a princípio, não vai interferir na eleição da Assembleia Legislativa. Para ele,  são muitos interesses, muitos partidos, mas todos são adultos e  eles que se entendam.
Mas…
Mesmo assim, deixou claro que se não houver entendimento, ele vai agir e que sabe jogar duro. Foi assim na montagem de sua Chapa. Vários interesses disputavam os cargos e ele bancou a composição atual, vitoriosa. Esse é o jeito de Gladson fazer política. Ele dá chance para as conversas, disputas democráticas, mas se não houver consenso, atua de modo firme.
suplentes
Mesmo assim, Gladson acabou com a esperança de algum suplentes que já estavam se movimentando. Garantiu que não pretende chamar nenhum deputado para compor seu secretariado . Pelo menos, que é o pensamento agora. Ele disse que não é intransigente e que pode vir a mudar, mas não agora.
Transição
A transição deve ocorrer de modo Pacífico. Gladson elogiou a postura do governador Tião Viana de marcar encontro para acertar a transição. Disse também que vai pedir ao Tribunal de Contas e a outras instituições um relatório sobre a situação do estado. E reassegurou de forma firme que pretende fazer uma auditoria completa para saber o que vai herdar.
Pagamento
O governador eleito reafirmou o compromisso de manter o pagamento dos Servidores em dia. Para isso, diz que vai fazer urgente uma reforma administrativa no estado. Que não é mais possível ter quatro ou cinco órgãos cuidando da mesma coisa, em prédios e estruturas diferentes, com gastos muito grandes
Institucional
O novo Governador Quer manter uma relação institucional com todos os setores da sociedade, com os 22 prefeitos e com os poderes. Isso é muito salutar. Garantiu que não vai haver favorecimentos e nem partidarismos nessa relação.
Nacional
Na política nacional, Gladson Cameli não tem dúvida. Suas palavras são:  “sou Bolsonaro Desde pequenininho”. Disse que ainda não procurou o presidenciável, mas que vai fazer esta semana. Estranho seria se agisse diferente. Essa é uma aliança óbvia.
Oposição
Gladson disse também que vai respeitar a oposição e que as críticas ao seu governo estão liberadas também na imprensa. Para ele é o jeito correto de saber onde pode melhorar.
Cargos
Ainda sobre a possível nomeação de cargos, comentou com bom humor as especulações que são dadas sobre nomes que estariam certos para as diversas secretarias. Ele disse que esqueceram de combinar com o governador. Dá a entender que ainda não tem nada certo e que, antes de qualquer decisão, vai ouvir muito.
Conselho
O governador eleito pediu que cada partido da Coligação Vitoriosa indicasse um nome para compor o conselho de transição. A presença no conselho não é garantia de nomeação no governo. Isso será definido em uma segunda etapa.
Trabalho
Mas Gladson deixou claro que mesmo a nomeação não será, de forma alguma, definitiva. Disse que vai cobrar muito trabalho e resultados. Quem não se adequar, quem não apresentar rápidas soluções, não seguir seu ritmo de trabalho, terá que entregar o cargo. Disse que a imprensa poderá cobrar essa situação. E ele pode ter certeza de que isso vai acontecer.
Tranquilidade
Diante das divisões na oposição, Gladson terá um começo de governo dos mais tranquilos da história acreana. Não enfrentará problemas na Assembleia Legislativa, na câmara federal, Senado e muito menos no governo federal. Ele sabe que essa situação não vai permitir que ele aponte culpados para qualquer problema que enfrentar. E ele mesmo reconhece que a responsabilidade será integralmente sua. É um bom começo.
LDO
O governador eleito já terá nesta semana que começa um grande desafio. Vai ter que interferir nas discussões da LDO para o próximo ano. A lei, que será discutida na Assembleia Legislativa definirá, entre outras questões importantes, os s percentuais a serem distribuídos para os vários poderes e instituições. Gladson terá que se inteirar e aprovar na prática o que for debatido, á que será executado em sua administração
Pró-saúde
O governador eleito se dispôs a conversar com servidores do pró-saúde para encontrar alternativas, mas deixou claro que fará tudo dentro do Marco legal. Diante disso, terá a maior boa vontade em resolver problemas.
Inaugurações
Já o governador Tião Viana pode superar o Baixo Astral que perpassa por integrantes de seu governo com as inaugurações de final de mandato. Ele quer mostrar que seu governo deixou a infraestrutura do Acre bem organizada. São obras que realmente impressionam. A história vai julgar seu governo com o distanciamento necessário.
Convite
O governador Gladson Cameli desmentiu que tenha feito qualquer convite para que o deputado Ney Amorim aderisse a seu partido. Disse que não é o momento e que a visita que fez a ele foi meramente institucional e necessária, rmbora não esconda que tem grande admiração pessoal pelo Deputado.
Rocha
Durante toda a sua vida, o vice-governador, major Rocha, se caracterizou pelo temperamento explosivo. Nos últimos dias, tem dado efetivas mostras de que moderou seu discurso e que pode ser um importante articulador e aliado do governo. Um ponto de equilíbrio dentro do governo. Terá a voz ativa Nas questões da Segurança Pública.
Importante
Destaca-se na bancada federal do Acre a futura atuação da deputada Eleita Mara Rocha, a mais votada. Terá importante papel no Congresso e vai somar com as novas deputadas eleitas, pelo fortalecimento da presença feminina no Congresso Nacional.
Absurdo
Uma nota fora da política. A polícia descobriu que o bárbaro assassinato de duas adolescentes e um amigo, durante a Expoacre e que chocou a cidade teve motivações passionais. Quando se imagina que uma menina de 14 anos possa provocar reações exacerbadas em um amante abandonado, é porque a linha moral da sociedade realmente esse esgarçou muito.
Moral
E prova que, as razões da violência não estão só no tráfico de drogas, mas também na ação e omissão do  se discute e se pratica em casa com os filhos e com as noções mais básicas de moral e respeito.

Nenhum comentário: