25/11/2018

Economista defende reforma fiscal no estado e conta experiência de Rondônia

Peré Vasconcelos
O economista e empresário acreano Peré Vasconcelos, que foi assessor do governador Edmundo Pinto, depois secretário da Fazenda do governo de Rondônia e tem ampla experiência no setor público, acredita que é fundamental que o novo governador acreano e também a prefeita da capital promovam, urgentemente e reforma fiscal. Para ele, sem essa medida, “não tem como tirar o estado e o município deste atoleiro e a tendência é a crise se agravar”. Para o economista. “se o Estado não produzir, não gerar emprego, não gera consumo, se não gera consumo, não gera receita. Portanto, tem que melhorar a qualidade da máquina pública”.

Peré diz que o Acre. “com a administração petista patrocinou, nestes últimos 20 anos, gerou uma geração de dependência. É empresário que depende do governo. É servidor que, claro, depende do governo. Mas são os cidadãos, jovens que dependem do governo para ingressar na vida pública, porque não tem outra alternativa no setor privado”. Em sua opinião, “a situação tende a se agravar”.

Peré diz que o governador Tião Viana, ao dizer que só três estados estão conseguindo pagar o salário de dezembro e vão conseguir pagar o décimo terceiro, não cita Rondônia. Ele conta que o Estado de Rondônia já pagou 50% em julho e deve pagar agora em novembro o restante dos 50%. “Está com dinheiro em caixa, sobrando. É uma prova de que a reforma fiscal que nós fizemos naquele estado, lá atrás em 2000, deu certo”, diz.
http://www.jornalatribuna.com.br/?p=172810

Nenhum comentário: