27/11/2018

Jenilson convida Desembargador para abertura da Missão Dr. Baba

O deputado estadual e médico Jenilson Leite se reuniu com o desembargador Francisco Djalma, que presidirá o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) no biênio 2019-2020, com o objetivo de convidá-lo para irem juntos ao município de Jordão, no dia 19 de janeiro de 2019, data que inicia a viagem da 1ª ação de saúde humanitária em homenagem ao médico Rosaldo Firmino Aguiar, o Doutor Baba.

O deputado explicou ao magistrado que na ação de saúde, além dos atendimentos médicos aos ribeirinhos, também serão ofertados atendimentos com profissionais da área da assistência social e da área jurídica. Jenilson enfatizou que o convite feito a ele [Djalma], têm inúmeros motivos, dentre eles: que na época da emancipação política de Jordão em 1992, ele era o juiz da comarca de Tarauacá e contribuiu significativamente na qualidade de representante máximo da justiça naquela jurisdição, cuja assinatura está na ata da criação da cidade. O parlamentar explicou também, que a ação de saúde coincide com o novenário de São Sebastião, festa que reúne inúmeras pessoas do município e das cidades vizinhas.

O Desembargador disse que recebia o convite com muita honra, de modo que, não poderia recusá-lo. Vale lembrar, que o magistrado participará do atendimento que será realizado na cidade, no dia 19 de janeiro. Depois, Jenilson Leite e os demais integrantes seguirão viagem para realizar os atendimentos aos ribeirinhos. Devido os compromissos na Corte, o magistrado não poderá fazer o percurso às margens do rio.

Segundo Jenilson, a visita ao magistrado não se resumia apenas ao convite para ir ao Jordão, contudo, faz parte de um trabalho que ele vem fazendo de visitar os órgãos judiciais, dentre eles, o MPAC. “Iniciamos um trabalho de visitar os poderes judiciais, já estivemos no MPAC, e agora viemos nos colocar à disposição do TJAC. Aí aproveitamos a oportunidade para convidar o Dr. Djalma para ir ao Jordão e ver de perto a cidade que ele ajudou a construir sua emancipação política”.

Ao final da conversa, o desembargador Francisco Djalma perguntou que idade Jenilson tinha e o que fazia na época em que ele foi juiz de de Tarauacá. Jenilson disse: – Eu tinha 13 anos, estudava pela pela manhã e engraxava sapatos a tarde, inclusive o senhor era meu cliente”.

O desembargador com expressão de felicidade e surpreso disse que ficava feliz em saber das conquistas do deputado.

Nenhum comentário: