08/11/2018

Sem citar desentendimentos internos, Ney Amorim entrega carta de desfiliação ao PT

Ao contrário do que muitos esperavam a carta de desfiliação que o deputado Ney Amorim entregou ao presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), na tarde desta quinta-feira (8), não relatou os vários desentendimentos internos que que movimentaram sua campanha ao Senado e que foram responsáveis pela sua saída da legenda que o projeto politicamente em todo o Estado do Acre.

Em tom poético, Ney Amorim narrou sua trajetória no PT, destacando que tudo na vida tem início e fim e que as pessoas precisam se preparar para o final de cada ciclo. Amorim destaca que entrou no partido aos 15 anos, quando seu pai, Josué Amorim foi candidato e chegou ao mandato de vereador pelas fileiras petistas, com apoio dos moradores da Baixada, um dos maiores redutos do PT.

Ele destacou sua participação na construção do partido, deixando uma alfinetada sobra uma possível mudança no projeto petista. “Várias foram as demonstrações de empenho de nossa parte. Percorremos todos os postos e todas as fases de participação na caminhada de crescimento do Partido dos Trabalhadores e do projeto apresentando que tinha um objetivo: O bem coletivo”, destaca Ney.

Segundo Amorim, ele militou nos tempos em que o PT não disponibilizava de recursos financeiros, quando seus militantes pintavam camisetas, fixavam cartazes e balançavam bandeiras nas esquina da cidade. “Nós entregamos, nos empenhamos, apoiamos e defendemos as cores, as ideias e as pessoas”. O dissidente destaca que defendeu a legenda e foi fiel aos seus princípios.

“Mas, como disse no início, tudo que começa um dia acaba. E chegamos ao fim. Eu, Ney Amorim, deputado estadual de três mandatos, presidente da Assembleia Legislativa comunico minha desfiliação do quadros do Partido dos Trabalhadores. Ciente de ter feito a minha parte na construção dessa história e de ter a liberdade democrática de caminhar na direção do que acredito”.

Ney Amorim encerra a carta destacando sua tendência cristã e que vai continuar servindo a quem o procurar. “Vamos estar sempre aqui, onde sempre estivemos, para servir ao maior número de pessoas possível. A todos deixo meu abraço e minha gratidão por tudo que foi partilhado e vivido durante esses anos”, finaliza o deputado que ainda não escolheu novo partido para se filiar.

Nenhum comentário: