04/12/2018

Marivaldo Melo e Marcos Lameira querem comandar o Sebrae no Acre


A briga para ocupar o cargo de Superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Acre (Sebrae) está a cada dia mais acirrada. Concorrem ao posto mais importante da instituição o empresário Marcos Lameira, 1º vice-presidente da Federação do Comércio, e Marivaldo Melo, ex-presidente do Banco da Amazônia.

Apesar de discreta, e interna, a eleição no âmbito do Sebrae, que ocorrerá na quarta-feira, dia 06, durante encontro do Conselho Deliberativo Estadual (CDE), é mais politizada do que se imagina. Exemplo disso é a influência, por vezes involuntária, que o governador eleito Gladson Cameli tem demonstrado ter junto ao Colegiado do órgão federal.

O ac24horas apurou, com exclusividade, junto a alguns membros do Conselho, que estes estão apenas esperando uma ligação de Gladson Cameli, para decidirem os votos que darão. Na verdade, esperam para saber em quem devem ou não votar, afinal, o Sebrae é uma das instituições que podem ajudar fortemente programas do futuro governo de Cameli.

“Eu sei bem a importância do Sebrae para o Acre, para o governo, para os nossos jovens que saem da universidade, ou do ensino médio. Em tempos de crise como a que estamos ainda vivendo, o Sebrae não pode, jamais, ir para mãos erradas.Seria um tiro contra o nosso estado. Precisamos ficar atentos, e vou votar conforme o governador Gladson me pedir”, disse um dos votantes.

A reportagem do ac24horas tentou conversar com ambos os candidatos a superintendente do Sebrae, mas apenas Marivaldo Melo foi receptivo e gravou entrevista. O candidato Marcos Lameira, ainda que procurado, foi ríspido com a reportagem, desligou o telefone e mandou recado informando que não conversaria sobre a candidatura dele.
A proposta de Marivaldo Melo para o Sebrae

Marivaldo, que tem ampla experiência na gestão e ainda em projetos de inovação, já passou por todos os cargos técnicos do Banco da Amazônia, e chegou a presidente da instituição. Atualmente é superintendente do banco no Tocantins, e garantiu que trabalhará para melhorar ainda mais os serviços do Sebrae no Acre, atendendo às necessidades da sociedade.

“Eu resolvi ser candidato porque tenho um currículo, tenho experiência. Na última eleição fui candidato a deputado federal. Tenho muita afinidade com o Sebrae, onde fui conselheiro por mais de dez anos, juntando o período do Acre, Pará e agora no Tocantins, então conheço bem o Sebrae”, pontua o candidato ao dizer que a instituição é “imprescindível” ao micro e pequeno empresário.

Uma das medidas que pretende implementar tão logo chegue ao comando do Sebrae, conta Marivaldo, é melhorar o atendimento aos que buscam os serviços da organização. “Hoje temos muitos desafios, e um deles é alcançar o maior número de empreendedores possível, e uma forma de conseguir isso, é pelo modo digital, de forma eficiente eficaz”, classifica.

Melo afirma que não adianta ter altas metas cumpridas se a qualidade do serviço não está de acordo com o esperado pelo público-alvo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. “A empresa não é para o empreendedor atender às suas próprias necessidades, mas é para o mercado. Queremos preparar os empreendedores para eles trabalharem bem”, completa.
Conselheiros apontam vitória de Marivaldo na quarta

Outro conselheiro do Sebrae, que pede sigilo sobre o nome dele, diz que Lameira é indicado por Leandro Domingos (presidente da Fecomércio), e tem o apoio de José Adriano Ribeiro (presidente da Fieac, e candidato a Presidente do Conselho Deliberativo), para preencher o “ego” dos empresários.

“O que a gente tá vendo aí no Sebrae, são pessoas querendo preencher o próprio ego. Sabe por quê? O Marivaldo, sem sombra de dúvidas, é o mais preparado, mas o Leandro não engoliu isso, nem o Adriano. Então o que fizeram: candidataram o Marcos, e o Adriano se colocou para o Conselho”, revela o conselheiro.

Outra pessoa ligada ao Conselho conversou com o ac24horas, pessoalmente, nesta segunda-feira, dia 04, e foi além: classificou que a briga é para manter apadrinhados da Frente Popular “com a caneta na mão”, e porque Adriano não se saiu bem nas eleições e tenta, de alguma forma, se manter forte, mas que isso tem sido difícil.

“O Leandro domingos, a gente sabe, deixou a Federação na mão do Marcos. Agora, ele está sendo indicado a um cargo fora do Acre, mas confia que Marcos o representará. Mas eu não acredito que leve essa, porque essa é uma briga por status e para demonstrar influência. Isso não cabe no Sebrae. Deve ter quatro votos apenas: dois do governo e os dois da Indústria e Comércio, que se uniram. Mais nada!”, avalia.
Os membros do Conselho Deliberativo do Sebrae

Atualmente, o Conselho do Sebrae é composto por 15 instituições: Acisa, Banco da Amazônia, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Federação da Agricultura do Estado do Acre, Fecomercio, Federacre, Fieac, Funtac, Iel, Sebrae, Senar, Seplan, Suframa e Ufac. Um total de 15 membros efetivos.

Nenhum comentário: