22/01/2019

Segurança Pública encontra ônibus novo abandonado em área do Cieps

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública instaurou, nesta terça-feira, 22, processo administrativo para apurar as circunstâncias que levaram o Centro Integrado de Ensino e Pesquisa em Segurança Pública (Cieps) à situação de abandono total.

No documento, assinado pelo secretário de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Rocha dos Santos, consta inclusive o registro de um ônibus novo se deteriorando pela ação do tempo, em meio a outros veículos.

O prédio, onde funcionava uma academia de polícia destinada à preparação e qualificação dos agentes das forças de segurança do estado, está deteriorado. Se antes era um espaço para práticas de educação físicas, com curso de tiro e até alojamento, hoje se encontra tomado pela vegetação e com equipamentos depredados.

“Além dessa unidade, que está bastante deteriorada, nós encontramos vários equipamentos comprados com recursos da União esquecidos, como a exemplo, um ônibus destinado ao programa “Crack é Possível Vencer” que nunca foi usado, e que está aqui, se acabando com a ação do tempo”, afirma o secretário.


Equipamentos comprados com recursos da União encontrados deteriorados (Foto: Neto Lucena)

“Por conta disso, queremos saber por qual motivo esses equipamentos foram abandonados aqui. E, se for comprovado algum desvio, nós vamos estar encaminhando a situação para os devidos órgãos de controle, afim de adotarem as providencias cabíveis”, completou dos Santos.
Detentos farão a limpeza do local por redução de penas

Como medida emergencial, o secretário já solicitou junto ao Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), a liberação de reeducandos devidamente habilitados para a limpeza inicial do espaço, com roçagem da vegetação e a realização de pequenas manutenções entre os pavilhões.

Nos próximos meses, a Polícia Militar do Estado do Acre pretende realizar o curso de formação para promoção de cabos e sargentos e o espaço precisa estar pronto para receber os candidatos.

“Dentro das condições que se encontram as instalações não é possível desenvolver qualquer trabalho aqui. Nós temos previsto a chegada dos que vão fazer o curso de formação do último concurso da Polícia Militar e Civil, além dos cursos para promoção de cabos e sargentos, e pretendemos fazer intervenções pontuais que permitam a utilização desse espaço pelas forças que integram o Sistema de Justiça e Segurança pública”, concluiu.

Lilia Camargo 
22.01.2019 16:06
Atualizado 22.01.2019 às 16:06

Nenhum comentário: