8.03.2020

Fórum decide manter suspensão das aulas no Acre e retorno à escola volta a ficar indefinido

Em reunião do Fórum Estadual da Educação, que ocorreu na tarde desta segunda-feira, 3, na sede da secretaria de Educação do Acre, ficou decidida a manutenção da suspensão das aulas presenciais durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). Embora tenha se cogitado inicialmente que o retorno das atividades escolares de forma presencial no Acre poderia ocorrer em setembro deste ano, a ideia foi descartada após representantes da classe educadora se posicionarem unânimes contra retorno das aulas enquanto ainda houver risco de contaminação da doença.
Agora, as atividades escolares de maneira presencial ficaram suspensas novamente por tempo indeterminado. O gestor da pasta da Educação, professor Mauro Sérgio, argumentou que a secretaria “não sabe o que pode acontecer caso os estudantes voltem às escolas. Não queremos tomar uma decisão que possa causar algo negativo para a saúde pública do nosso estado. O foco é dar segurança para alunos e profissionais e seus familiares”.
O estudante Richard Brilhante, membro do Fórum, também se posicionou contra o retorno presencial e comemorou a decisão. “De forma muito responsável, entendeu [Fórum] que as aulas presenciais continuam suspensas por tempo indeterminado. Ainda assim, levanta a preocupação com as aulas remotas, pois considera que deve existir um investimento maior, para atingir mais estudantes”, destacou.
De acordo com o governo do Acre, o objetivo do Fórum é justamente encontrar caminhos para a continuidade da vida escolar nesse momento de pandemia. A professora Fátima Miranda, representante do Conselho Estadual de Educação e da Câmara de Educação Básica, votou de forma contrária ao retorno das atividades. Para ela, é necessário que haja uma “articulação entre os órgãos de saúde e educacionais (da rede pública e privada), para discussão de um plano que possibilite o retorno das atividades, mas somente quando for possível o retorno seguro a todos os professores e estudantes”, concluiu.
ac24horas

Nenhum comentário: