8.04.2020

Governo já cogita estender auxílio emergencial até dezembro, com parcelas reduzidas


O governo federal estuda a extensão do auxílio emergencial até dezembro. O valor do benefício, hoje fixadas em R$ 600, teria que ser reduzido diante da falta de recursos. Uma das ideias é pagar mais quatro parcelas de R$ 200. Para isso, no entanto, é preciso a aprovação do Congresso Nacional.

O programa emergencial já repassou R$ 167,4 bilhões a 66,5 milhões de brasileiros, segundo o Tesouro Nacional. O pagamento das cinco parcelas confirmadas deve elevar o montante a R$ 254,4 bilhões.

A extensão do auxílio pode render frutos eleitorais ao presidente Jair Bolsonaro, sobretudo no Norte e no Nordeste. A prorrogação seria uma resposta às incertezas dos efeitos da pandemia do coronavírus e uma forma de “comprar tempo” em meio às dificuldades para lançar o Renda Brasil, programa social que vai substituir o Bolsa Família.

O cientista político Carlos Melo, do Insper, afirma que é necessária uma solução política para atender à população mais vulnerável. “Você pode prorrogar (o auxílio), mas, em 31 de dezembro, as questões não estarão resolvidas, e o problema continua”, diz.

Em paralelo: o governo publica, hoje no Diário Oficial, veto integral de Bolsonaro ao projeto de lei que garantia indenização a profissionais de saúde incapacitados pela Covid-19. O texto previa reparação de R$ 50 mil a casos permanentes.
fonte: o globo

Nenhum comentário: