12.24.2020

Reinfecção por Covid-19 é possível e casos podem ser graves, alerta estudo da Fiocruz

“Se você já teve uma infecção assintomática ou branda, isso não significa que não vá ter de novo, nem que será branda novamente”, diz o virologista Thiago Moreno, um dos autores do estudo
24 de dezembro de 2020, 06:59 h Atualizado em 24 de dezembro de 2020, 07:20

(Foto: Amanda Perobelli - REUTERS)

247 - Um estudo elaborado pela Fiocruz aponta que casos assintomáticos e leves de Covid-19 não resultam em uma imunização contra a doença. De acordo com a pesquisa, publicada na Social Science Research Network, o risco de reinfecção pelo coronavírus pode resultar em um quadro mais grave da enfermidade. 

“Se você já teve uma infecção assintomática ou branda, isso não significa que não vá ter de novo, nem que será branda novamente”, disse o virologista Thiago Moreno, um dos autores do estudo, segundo o jornal O Estado de S. Paulo.

A pesquisa foi realizada pelo Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz) e acompanhou, por meio do sequenciamento de genótipos do novo coronavírus, quatro pessoas que não apresentaram sintomas da Covid-19 desde o começo da pandemia, em março, embora tivessem testado positivo para o SARS-CoV-2. “Quando fizemos o RT-PCR mais uma vez, os quatro indivíduos testaram positivo. O que observamos foi uma reinfecção dentro do ambiente familiar”, disse Moreno.

“Contudo, a pessoa que apresentou em março o genótipo associado a casos importados agora estava infectada por uma outra cepa. O outro indivíduo, que tinha sido infectado com o genótipo que circulava no Rio continuava com o mesmo genótipo, mas ele já tinha algumas mutações acumuladas, o que permitiu a interpretação de que era uma reinfecção e não uma persistência da infecção”, completou. 

O Pesquisador ressaltou que “pessoas com casos assintomáticos ou muito brandos, se forem reexpostas ao vírus, poderão ter novamente uma infecção” e que “desta vez, pode ser uma infecção mais severa do que a primeira, como demonstrado na pesquisa”.
fonte: https://www.brasil247.com

Nenhum comentário: