Quer ficar informado sobre as principais noticias da educação em nosso Munícipio, Estado ou País, ac

2.04.2021

“Cadê a saúde humanizada, Bocalom?”, questiona paciente ao denunciar péssimo atendimento no Barral y Barral

A unidade que deveria ser referência segue sendo alvo de críticas e a moradora Val Sousa diz que a unidade de saúde está sendo gerida por apadrinhados políticos sem qualificação.


Folha do Acre – As reclamações a respeito da falta de qualidade no atendimento a pacientes que procuram a Policlínica Barral y Barrale, em Rio Branco, continuam e na manhã desta quinta-feira (4) mais usuários do sistema reclamaram do que consideram absurdo na falta de humanização no atendimento.

Uma das pessoas que usou as redes sociais para reclamar foi Antônio Carlos Barbosa que considerou a situação absurda. “É um absurdo! Cadê a saúde humanizada, prefeito Bocalom?”, questionou, direcionando-se ao prefeito que foi eleito defendendo a bandeira da humanização no sistema de saúde.

Uma outra usuária do sistema de saúde, Marcia Galvão, conta que o atendimento piorou e sequer mantiveram o padrão exercido na gestão passada.

“Antes já estava aberto às 5h da manhã, o povo ficava no sagão embaixo aguardando. O povo assume o governo, mas não entende nada de gestão, de ambiente humanizado, deveriam se preparar antes”, diz.

A unidade que deveria ser referência segue sendo alvo de críticas e a moradora Val Sousa diz que a unidade de saúde está sendo gerida por apadrinhados políticos sem qualificação.

“Os atendentes da farmácia atendem quando querem. Passam a maior parte do tempo no celular e as pessoas aguardando a boa vontade desses irresponsáveis. Apadrinhados políticos no mínimo, sem compromisso. Só não gravei, porque meu telefone estava no carro. Dá próxima vez não passará em branco”, desabafa.

Na manhã desta quinta-feira uma repórter local tentou contato com a direção do Barral y Barral e alegou ter sido ignorada pela direção. O jornal Folha do Acre mantém espaço reservado para que a direção da unidade envie esclarecimento sobre as reclamações.

Nenhum comentário: