9.10.2021

TARAUACÁ: INDIGNADA, PROFESSORA SOCORRO ARAÚJO DESABAFA - "NOSSAS MULHERES ESTÃO MORRENDO POR FALTA DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO EM SAÚDE"



Em texto publicado recentemente numa rede social, a Professora Socorro Araújo, que é Coordenadora Municipal de Políticas Públicas Para Mulheres e militantes do movimento de mulheres no município, fez um verdadeiro desabafo quando se refere ao atendimento de saúde para as mulheres do município. Socorro, que está com a irmã mais velha em tratamento para um câncer. Reclama das dificuldades que as mulheres encontram para receberem atendimento especializado. "Quando ouvimos falar que alguém tá com câncer que não é da nossa família ou mesmo que seja de um amigo ou amiga próxima há um sentimento diferente. Quando é alguém que você ama e tem a notícia sangra o coração. O meu não só sangra. Mas, fico indignada por anos falarmos de câncer de colo útero, de mama simplesmente em um único mês. Outubro Rosa", disse.

Lei o texto , na íntegra, logo abaixo:

"Há mais de 20 anos que vejo a população de Tarauacá relatando sobre a situação precária da saúde no município, principalmente as mulheres, Tem aumentado o índice de mortes por câncer de colo de útero. Tivemos governador médico, prefeitos médicos, temos deputados médicos, a base política para mudar ou minimizar essa situação, especialmente da população carente.

Mas, por quê não se faz nada nesse sentido em prol das mulheres?

Se você quiser o médico particular ginecologista você encontra. É só pagar, em média, de 200 a 400 reais, quando vai um ginecologista de Rio Branco para Tarauacá, isso conforme o pacote que o paciente pode pagar.

E quem não pode pagar?

Se for no público você até encontra, mas, com algumas restrições e não sendo especialista na área.

Temos inúmeras mulheres morrendo com câncer de colo de útero. Outras que já morreram porque demorou demais o atendimento e ainda vão continuar morrendo, porquê são ignoradas as mulheres de Tarauacá.

As que têm uma mínima condições, 'corre' para outro estado em busca de tratamento. Depois a família fica buscando ajuda a através da organização de rifa, vende o que têm, pede ajuda e pela graça de Deus o povo Tarauacaenses é um povo solidário.

Não temos médicos na rede pública para atender. Há anos estamos solicitando um especialista e nunca chega. Ninguém atende, ninguém consegue ver, que além da violência, há outra sendo feita pelo poder público, ignorando uma realidade.

Mulheres passam anos na fila, aguardando se chamada. Enquanto isso as mulheres morrem.

Algumas pessoas podem chamar isso de desabafo, não importa, ou 'mimimi' , por eu está com uma irmã com câncer. Isso dói na alma minha irmã é mais vítima dentre tantas outras.

Sempre digo. Quando ouvimos falar que alguém tá com câncer que não é da nossa família ou mesmo que seja de um amigo ou amiga próxima há um sentimento diferente. Quando é alguém que você ama e tem a notícia sangra o coração. O meu não só sangra. Mas, fico indignada por anos falarmos de câncer de colo útero, de mama simplesmente em um único mês. Outubro Rosa.

É o restante dos dias?

Você sabe as estatísticas de morte com Mulheres com já morrem com câncer?

Você sabe a estatística quantas estão na fila esperando tratamento?

Você sabe quantas voltaram pra casa para morrer por ter sido tarde demais?

Alguém sabe?

E você que é mulher ou homem não se indignar sabe o que você faz?

Veja seu número na fila"!

Por Socorro Araújo
Professora e coordenadora Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres

Postado por Raimundo Accioly

Nenhum comentário: