segunda-feira, 9 de maio de 2022

Zen diz que se a esquerda não acordar este ano, corre o risco de levar cascudo de bolsonarista na rua



Redação do Notícias da Hora 07 Mai 2022

Durante ato de lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República, e do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, de vice, que aconteceu em São Paulo neste sábado (7), petistas do Acre se reuniram na sede do partido para acompanhar. Entre os discursos, o mais aguçado foi o pronunciamento do deputado Daniel Zen, que chamou a militância para partir para “a tora”.

“Está todo mundo esperando uma definição nossa. Mas independendo disso, “tem que ir pra tora”. A gente tem que ir de cabeça erguida, com coragem, com cabeça erguida. O papel desse pessoal aí é intimidar [bolsonarista], de intimidar nas redes, nas ruas. Eles gostam de intimidar. Se a gente se recolher, eles ganham terreno. A tática deles é de milico”, disse o parlamentar.

Zen disse que caso a onda bolsonarista não seja contida nas urnas, o Brasil viverá tempos difíceis, principalmente os militantes de partidos de esquerda. “Ainda não chegou a esse ponto, mas se deixar a gente vai levar cascudo na rua, de juventude bolsonarista. Quem vai ser o candidato ao Governo ou ao Senado, não importa” e defendeu a ampliação da bancada petista na Assembleia Legislativa, que hoje são de dois deputados. “Nós precisamos pular de 2 para pelo menos 3. E de 4 para 8 pela oposição”.

Zen aproveitou para analisar o momento vivido pela esquerda com a chapa Lula/Alckmin a uma panela de pressão. “Isso aí é um sintoma pequeno, essa panela de pressão está ganhando pressão. A gente precisa aproveitar essa efervescência e ir pra cima”.

Nenhum comentário: