15/02/2019

Rocha faz visita surpresa ao Huerb e encontra portas quebradas, falta de profissionais e verticalização do Huerb abandonada


Após o Estado decretar calamidade pública na Saúde, o governador em exercício Major Rocha esteve por volta do meio-dia desta sexta-feira, 15, fazendo uma visita surpresa ao Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco. Na companhia da deputada federal Mara Rocha (PSDB), o chefe do Palácio Rio Branco peregrinou pelos corredores da Unidade Hospitalar e ouviu reclamações de profissionais e pacientes.

Logo ao entrar no Huerb, Rocha foi recebido pelos profissionais de saúde e também por pacientes que estavam reclamando do atendimento. Ao entrar no setor de consultas, o governador já se deparou com a porta quebrada. Ele conversou com médicos e enfermeiros que relataram que neste primeiro momento não falta remédio, mas sim alguns insumos.

O governador visitou as alas que atendem crianças, adultos e idosos e ouviu da boca de diversos profissionais da saúde que atualmente o grande déficit do Hospital é em relação aos profissionais. Segundo os relatos, quase 500 auxiliares de enfermagem precisaria ser contratados para suprir a demanda da Unidade. Com relação a médicos, precisaria de pelo menos mais 50 profissionais.

Acompanhado do diretor-geral do Huerb, o médico Welber de Lima, Rocha e Mara foram direcionados para a parte superior do Hospital, que foi inaugurada no ano passado pelo governador Sebastião Viana, mas não funciona. Dos três elevadores da Unidade, somente um funciona, mas sem luz interna. O piso apresenta uma série de defeitos. “Se jogar água aqui nesse piso, ele se solta”, comentou um profissional de saúde que acompanhava a visita.

Fotos: ac24horas 

Todos os leitos superiores não acomodam nenhum paciente por falta de estrutura. O ambiente não tem ar-condicionado e mesmo durante um clima ameno, como foi esta sexta-feira, a sensação de abafado toma conta.

“A nossa principal dificuldade é deficiência técnica, a falta de material humano e também os insumos que estão tendo dificuldades de obtê-los, mas com esse Decreto de Calamidade eu acredito que vá melhorar muito a nossa saúde. Vamos poder respirar melhor e a gente vai chegar numa melhora considerável nesses próximos 60 ou 90 dias”, explicou o diretor Welber de Lima.

Incomodado com o que encontrou, Rocha se comprometeu a cobrar do secretário da saúde medidas urgentes para tentar resolver o problema de Saúde. “Recebemos reclamações e elogios do atendimento. Nós sabemos das dificuldades sobre a falta de profissionais, mas temos que entender que estamos a menos de 50 dias no governo. Foi promessa nossa de campanha, foi compromisso meu e do governador e da gente uma atenção especial para a Saúde”, disse o governador.

Sobre a parte vertical do Huerb, Rocha ressaltou que trabalhará para que o setor esteja o mais rápido possível a disposição da população. “Como você pode constatar, a maioria dos banheiros apresentam problemas nesta parte. Não tem ar-condicionado. Vamos correr contra o tempo para resolver isso. A população não pode pagar pela responsabilidade de terceiros. É um compromisso nosso tentar resolver isso o mais rápido possível”, enfatizou.

ac24horas.com

Governo de Gladson Cameli decreta calamidade pública na saúde


Foi publicado na edição desta sexta-feira, 15, do Diário Oficial do Estado, o decreto Nº 531, que declara a existência de situação de calamidade pública no serviço estadual de saúde, afetado pela insuficiência de profissionais da saúde. O documento é assinado pelo governador Gladson Cameli (Progressistas).
De acordo com a publicação, a declaração é decorrente da insuficiência de recursos humanos e da consequente insuficiência de atendimento à demanda e com isso a Secretaria de Estado da Saúde fica autorizada a adotar as medidas necessárias para a contratação de pessoal por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.

Os procedimentos administrativos devem ser agilizados e priorizados para o atendimento às áreas e às regiões mais prejudicadas. A Secretaria de Estado da Saúde adotar as medidas administrativas legalmente possíveis e necessárias para que a normalização da prestação das ações e serviços de saúde estaduais.
O decreto detalha que 658 servidores se aposentaram nos últimos anos, sem conta a exoneração de 1.769 profissionais da saúde entre os períodos de 2015 a 2018. Outro ponto é o aumento de 12 unidades/setores de saúde no Estado após os concursos públicos de 2013 a 2014, fato que aumentou consideravelmente a demanda por servidores em relação ao inicialmente planejado.
O decreto governamental revela ainda que em apenas 1 dos 11 quadrimestres, desde 2015, o Estado do Acre esteve fora das limitações para contratação de pessoal previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal, impossibilitando o incremento do número de profissionais.
Com a publicação do decreto, é possível que um processo seletivo na área de saúde deva ser iniciado nos próximos dias. O governo do Estado ainda não confirmou essa possibilidade e deve ser pronunciar ainda durante toda esta sexta-feira, 15.

Raríssimo: mãe de 25 anos dá à luz naturalmente a sete bebês


É até difícil de acreditar. Uma mãe de 25 anos, deu à luz a sete crianças - seis meninas e um menino - e todos eles nasceram de parto normal. A família mora na província de Diyali, no leste do Iraque. Segundo os jornais iraquianos, é o primeiro caso de

sétuplos no país do Oriente Médio. Um porta-voz do departamento de saúde local divulgou um comunicado dizendo que a mãe e seus sete bebês estão perfeitamente saudáveis.
Quando descobriram que estavam esperando sete crianças, o casal teria se recusado a fazer redução seletiva. Está "nas mãos de Deus", eles disseram. O pai das crianças, Youssef Fadl, disse que ele e sua esposa, que já tinham mais três filhos, não planejavam aumentar a família. No entanto, agora são dez filhos para criar!
Os primeiros sétuplos
O primeiro caso de sétuplos sobreviventes do mundo foi em 1997, nos Estados Unidos. O casal, Kenny e Bobbi McCaughey, de Iowa, já era pais de Mikayla Marie, quando os sete nasceram. O parto foi acompanhado por equipes de jornalistas do mundo todo que, depois, invadiram a modesta casa da família. 
Na época, os pais receberam milhares de doações, entre elas uma casa, uma van, um ano de alimentos, dois anos de fraldas e bolsas universitárias completas para qualquer universidade estadual em Iowa. Durante os primeiros meses de vida, os sétuplos bebiam 42 mamadeiras por dia e usavam nada menos do que 52 fraldas. Veja, abaixo, fotos da época do nascimento e confira como eles estão atualmente.
fonte revistacrescer.globo.com

TARAUACÁ: PARADOS NO BAILÃO - GRANDE FESTA HOJE NO "BAR DO PAI"


Postado por Joao Maciel 

Os valores que deverão ser pagos, a título de indenização, às famílias dos 10 atletas mortos e também aos que ficaram feridos no incêndio do alojamento do Centro de Treinamento do Flamengo, conhecido como Ninho do Urubu, deverão ser definidos até a próxima semana. A informação foi dada pela defensora pública Paloma Araújo Lamego, que participou, nesta sexta-feira (15), no Ministério Público (MP), de reunião da força-tarefa criada para resolver o problema e definir medidas a serem tomadas. O incêndio foi na sexta-feira passada (8).

“A atuação da Defensoria Pública diz respeito à indenização das famílias das vítimas. Com relação ao acordo, a gente já tem várias cláusulas, já consegue ter a maior parte do acordo proposto. Nós teremos uma nova reunião na segunda-feira (18). E acreditamos que, ainda no início da semana, se tenha o acordo fechado”, disse Paloma.

Ela informou que a Defensoria se propõe a assessorar as famílias, inclusive as que moram em outros estados, para fazer o atendimento e os acordos individuais, pois cada caso terá um valor calculado, dependendo de parâmetros a serem estabelecidos, que levarão em conta a carreira que o atleta poderia ter exercido ao longo dos anos e os valores salariais que ele poderia receber como profissional.

“Existe um acordo geral, e depois a gente faz os acordos para cada situação. Os valores ainda não estão fixados. A gente criou parâmetros de indenizações. A ideia é que, na segunda-feira, chegue-se a um acordo dos valores mínimos. A carreira do atleta é considerada no estabelecimento do acordo”, disse a defensora.

Segundo Paloma, quem aderir ao acordo não poderá, futuramente, processar o Flamengo. “O acordo é uma resolução que inibe a postura de outras demandas sobre os mesmos temas.”

Professores e policiais federais terão idade mínima igual para homens e mulheres no INSS

Professores e policiais federais terão idade mínima igual para homens e mulheres no INSS
A idade mínima no INSS de aposentadoria para os trabalhadores que têm regras especiais , como professores, policiais federais e civis e trabalhadores rurais, será a mesma para homens e mulheres. Na quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro bateu o martelo e definiu que a idade mínima geral para requerer o benefício na reforma daPrevidência será de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres). 
Mas a equipe econômica convenceu o presidente que, em outros países, não há diferenciação por gênero nas aposentadorias especiais. Assim, a reforma prevê que professores se aposentem aos 60 anos. No caso de policiais federais e civis, ela será de 55 anos. Já os trabalhadores rurais poderão requerer o benefícios com 60 anos. 
Além disso, o presidente decidiu manter os benefícios assistenciais (pagos a idosos e deficientes da baixa que não contribuíram para o sistema) atrelados ao salário mínimo – uma vitória da ala política do governo. No entanto, haverá uma escala para que o auxílio chegue ao valor do piso nacional. Aos 55 anos, a pessoa poderá receber R$ 500; aos 65 anos, R$ 750, e aos 70 anos, o salário mínimo. O benefício hoje é pago integralmente aos 65 anos.
Policiais militares e bombeiros dos estados não terão idade mínima de aposentadoria, mas também serão afetados de alguma forma pela reforma. Isso vai acontecer em um segundo momento, quando o governo enviar ao Legislativo o projeto que fará ajustes no sistema previdenciário das Forças Armadas. A reforma enquadra militares dos estados no estatuto das Forças Armadas.P
No setor privado, onde não há exigência de idade mínima hoje, os trabalhadores poderão escolher a forma de requerer a aposentadoria. Após a aprovação da reforma, haverá uma idade mínima que começa aos 56 anos (mulher) e 60 anos (homens). Ela vai subir meio ponto (o equivalente a seis meses) a cada ano, até atingir os 62/65 anos.
Outra opção é entrar num sistema de contagem de pontos (soma de idade e tempo de contribuição), que começará em 86/96 e vai subir um ponto a cada ano a partir de janeiro de 2020, até atingir 100/105 pontos. No caso dos professores da rede privada, são cinco pontos a menos.
Além disso, será possível se aposentar por tempo de contribuição de 30 anos (mulher) e 35 anos (homem) sem idade mínima, com pagamento de pedágio de 50% sobre o tempo de contribuição que falta para requerer o benefício. Essa última regra, no entanto, será limitada às pessoas que estiverem a dois anos da aposentadoria na data da aprovação da proposta.
No caso dos servidores, que já precisam atingir idade mínima de aposentadoria, de 55 anos (mulher) e 60 anos (homem), a regra partirá dessas idades também com acréscimo de meio ponto a cada ano, até atingir os 62/65anos. Eles terão ainda a opção do sistema de pontos, da mesma forma que o setor privado.

MIX VALE/http://www.jornaltabloide.com

Congresso em Foco estreia na Rádio Globo com furo sobre a reforma da Previdência


Sylvio Costa, fundador do site, participará todas as sextas-feiras, a partir das 7h, do programa apresentado por Mariana Godoy e Mark Tawill na Rádio Globo de São Paulo

O Congresso em Foco estreou, nesta sexta-feira (15), quadro semanal na Rádio Globo de São Paulo com uma informação em primeira mão sobre a reforma da Previdência. Revelamos nesta manhã que a proposta do governo incluirá alíquota maior para servidor público e aumento do prazo de contribuição de militar.

Esse foi o principal tema da conversa do fundador do site, Sylvio Costa, com os apresentadores Mariana Godoy e Mark Tawill. Sylvio participará do programa todas as sextas-feiras, a partir das 7h, sempre com assuntos quentes da política nacional.

Ouça a entrevista

O Congresso em Foco revelou que o governo pretende elevar a alíquota de contribuição previdenciária paga pelos servidores públicos, hoje fixada em 11% da remuneração bruta, para 14%. E também deve aumentar o tempo mínimo de contribuição exigido dos militares como pré-condição para passarem à reserva – de 30 para 35 anos.


Clima favorável

Sylvio Costa acredita que, embora seja mais dura do que a apresentada pelo ex-presidente Michel Temer, a proposta do governo Bolsonaro encontrará um clima mais favorável no Congresso. Se até o ano passado uma das grandes discussões girava em torno da necessidade da reforma, agora há pouca divergência sobre a urgência de se alterarem as regras previdenciárias, que estrangulam as contas da União, dos estados e dos municípios.

“Agora a conversa é a seguinte: sim, precisamos da reforma, temos de ter. A situação é insustentável não no longo, mas já no curto prazo. Há uma mudança de clima dentro do Congresso e na sociedade. Parece-me que as chances de aprovação da reforma são muito grandes. O otimismo da Bolsa está relacionado à percepção de que as chances de aprovação da reforma aumentaram”, disse Sylvio, referindo-se à alta na Bolsa de Valores registrada após o anúncio dos primeiros pontos da reforma.

Apoio de governadores

O jornalista entende que o governo federal terá nos governadores um apoio fundamental para aprovar sua proposta no Congresso. Chefes do Executivo estadual costumam exercer grande influência sobre seus aliados no Senado e, sobretudo, na Câmara.

“Líderes de oposição muitas vezes são governo em diversos estados que lidam com problema das aposentadorias impagáveis. Em Minas Gerais, por exemplo, para cada dois trabalhadores na ativa, há três aposentados hoje. É uma situação absolutamente insuportável. Precisa ser feito algo e rápido”, destacou.

Além da solidariedade dos governadores, a pressão do mercado também deve pesar sobre os parlamentares, segundo o fundador do Congresso em Foco. “Sem falar do apoio que o Paulo Guedes tem do setor empresarial. Estamos falando de um assunto considerado prioritário do ponto de vista tributário, mas que também é visto como fundamental para a retomada do crescimento econômico”, lembrou ele.

Problemas na articulação

Sylvio explicou que o governo decidiu delegar aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a condução do processo para votação da reforma da Previdência diante da falta de lideranças governistas capazes de articular a aprovação da proposta. Na avaliação do jornalista, o grande adversário do governo hoje não é a oposição, mas ele próprio, com suas divisões e disputas internas. Essa falta de sintonia, segundo ele, pode prejudicar a votação da proposta.

“Há essa briga imensa do presidente e seus filhos com o Gustavo Bebianno, ministro importante e presidente do partido até recentemente. O governo escolheu como líder um deputado de primeiro mandato, Major Victor Hugo (PSL-GO), que é rejeitado pela própria bancada do partido. É uma situação que pode trazer danos”, disse. A equipe econômica pretende encaminhar a proposta de reforma da Previdência na próxima semana ao Congresso Nacional.



Em 15 fev, 2019 - 18:34 Última Atualização 15 fev, 2019 - 19:31

BOLSONARO AVISA BEBIANNO QUE ELE ESTÁ DEMITIDO


Presidente Jair Bolsonaro informou a Gustavo Bebianno que decidiu demiti-lo do cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência; chamado de "mentiroso" por Carlos Bolsonaro e pelo próprio presidente, Bebianno foi convidado a ocupar a diretoria de uma estatal, mas não aceitou; sua saída do governo será formalizada na segunda-feira (18), com publicação no Diário Oficial; acusado de repassar dinheiro do PSL para candidaturas laranjas, Bebianno já avisou que se cair, Bolsonaro cai junto

247 - O presidente Jair Bolsonaro informou ao ministro Gustavo Bebianno que decidiu demiti-lo do cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência. 

A informação foi divulgada nesta noite pela jornalista Daniela Lima, da Folha de S. Paulo, e também pelo Jornal do SBT. "Pessoas próximas ao ministro confirmaram na noite desta sexta (15) que ele será exonerado e que não há volta na decisão de Bolsonaro. A saída dele do governo será formalizada na segunda-feira (18), com publicação no Diário Oficial. Bolsonaro deixou o ato de exoneração assinado. O presidente esteve com Bebianno no início da noite desta sexta (15)", diz Daniela Lima. 

Segundo a jornalista Jussara Soares, do Globo, Bebianno foi convidado a ocupar a diretoria de uma estatal, mas não aceitou e, por isso, ficou decidido que vai sair do governo. Auxiliares do presidente ponderaram que o assunto continuará sendo tratado no fim de semana pelo governo.

Mais cedo, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, havia informado a Bebianno que ele permaneceria no governo. Também foi divulgado que Bolsonaro teria acertado com o núcleo militar do governo que o filho Carlos Bolsonaro seria afastado das questões do governo

Gustavo Bebianno perdeu força no governo após a divulgação do uso de candidaturas laranjas pelo PSL para desvio de recursos de campanha. Bebianno vinha tentando empurrar a responsabilidade para o então presidente licenciado da sigla, deputado Luciano Bivar (PSL). 

A situação do ministro se deteriorou ainda mais na noite desta quarta-feira, 13, depois que o presidente Jair Bolsonaro compartilhou tweets do filho, o vereador Carlos Bolsonaro, que chamou Bebianno de mentiroso. Os três tweets de Carlos Bolsonaro sobre o assunto foram retuitados pelo perfil oficial do presidente Jair Bolsonaro. 

Assista a vídeo com a notícia da demissão de Gustavo Bebianno dada pelo SBT: 

O Jornal Nacional tá falando que o Bebbiano segue no governo

Mas o Jornal do SBT já deu o furo, o Bolsonaro exonerou o ministro

Globo passando vergonha, hein...pic.twitter.com/wWZ89pbJvp— Paulo (@pauloap) 15 de fevereiro de 2019

Projeto de lei quer aumentar limite da Carteira de Habilitação de 20 para 50 pontos

Um projeto de lei (PL 11173/18) que tramita na Câmara dos Deputados quer mais que dobrar o limite de pontos para a manutenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), de 20 para 50 pontos.

O mesmo texto modifica as pontuações aplicáveis dependendo da infração cometida. Penas leves, como dirigir sem documentos, ficam zeradas – esse tipo de infração terá apenas uma multa de R$ 88,38. Já as demais modalidades de infrações terão redução de um ponto (as gravíssimas, por exemplo, passam de 7 para 6).

A proposta também isenta da aplicação de pontos na carteira algumas profissões: policiais, bombeiros, médicos, taxistas e motoristas de ônibus ficariam livres da penalidade. O mesmo vale para servidores públicos que têm entre as atividades do cargo dirigir.

Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro para todos os motoristas que cometem infração, independentemente do veículo. O limite para a pontuação é de 20 pontos antes de suspensão da carteira.

“Tais profissões também devem ter tratamento diferenciado perante a lei dada sua natureza, não devendo ser computada qualquer pontuação em suas CNH pelas infrações cometidas”, disse o autor, deputado Roberto de Lucena (Pode-SP).

Isenção tributária
O projeto também concede isenção tributária para veículos particulares de policiais federais, civis e militares, ativos ou inativos. A isenção vale para apenas um veículo e fica vedada a alienação do bem nos primeiros 24 meses da data de compra.

PREFEITURA DE TARAUACÁ REALIZA NOVA ETAPA DA OPERAÇÃO INVERNO GARANTIDO A TRÁFEGO DA POPULAÇÃO

A Prefeitura de Tarauacá, por meio da Secretaria Municipal de Obras, tem realizado no município mais uma fase da Operação Inverno, onde tem beneficiando várias ruas em que encontrava-se em estado crítico nos bairros da cidade.

O objetivo da operação é dar uma atenção maior, realizando trabalhos paliativos, as ruas que estavam causando grandes transtornos para a população.

E na sexta-feira, 15, a Bairro de Copacabana está recebendo melhorias.

Segundo o Secretário de Obras Lulu Neri, nesse momento todos os trabalhos realizados na recuperação de ruas, incluindo a capina, a desobstrução de córregos e a retirada de entulhos, tem sido feitos para garantir a trafegabilidade.

''Sabemos que nesse período de inverno os trabalhos são realizados de forma provisória até a chegada do verão, quando podemos realizar os serviços de reabertura de ruas e pavimentação com tijolos", assegura, o Secretário.
Assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal de Tarauacá

DEM nega recebimento ilegal de repasses para beneficiar candidatos nas eleições de 2018

O partido Democratas (DEM) negou, por meio de nota oficial, que tenha recebido repasses de qualquer valores às candidaturas da legenda, tendo cumprido todas as normas e regras que preconizam a lei eleitoral.

A nota, assinada pelo secretário-geral do DEM, destaca que as notícias produzidas por sites nacionais apresentam informações erradas.

O DEM do Acre informa ainda que a prestação de contas do deputado federal reeleito Alan Rick, integrante da bancada da legenda, foi aprovada por unanimidade, não ensejando, qualquer questionamento.

Confira a nota:

NOTA OFICIAL

A Executiva Estadual do DEMOCRATAS/AC, diante de notícia veiculada no site da Folha de São Paulo e repercutida em alguns sites locais com ilações e informações inverídicas acerca da campanha eleitoral e votação da candidata a deputada estadual Sônia Alves, vem repor a verdade e esclarecer a opinião pública:

– Em estrita obediência ao que preconiza a Lei 9.504/97, em seu Art. 10º, Parágrafo 3º, que trata do percentual mínimo de 30% de vagas a serem preenchidas por mulheres e em obediência à decisão do Tribunal Superior Eleitoral, que determinou que os partidos políticos deveriam garantir, no mínimo 30% do Fundo Especial de Financiamento de Campanha e de tempo de propaganda gratuita para candidaturas femininas, o DEMOCRATAS/AC reafirma que cumpriu rigorosamente as normas da legislação vigente;

– No tocante ao valor arrecadado pela candidata Sônia Alves, o DEMOCRATAS/AC informa que não houve qualquer repasse desses valores às demais candidaturas do partido, muito menos um montante de 16% para a então candidatura do deputado federal Alan Rick, como erroneamente diz a reportagem. O partido cumpriu todas as normas e regras que preconizam a lei eleitoral.

– O DEMOCRATAS/AC informa ainda que a prestação de contas do deputado federal reeleito Alan Rick foi aprovada por unanimidade, não ensejando, portanto, qualquer questionamento.

PAULO XIMENES

SECRETÁRIO-GERAL DEMOCRATAS/ACRE

Rio Branco-AC, 15 de fevereiro de 2019.