11.29.2021

Emenda de Bittar prevê o fechamento dos Correios em sete cidades do Acre, diz Sintect

 Emenda de Bittar prevê o fechamento dos Correios em sete cidades do Acre, diz Sintect

O projeto de privatização da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, aprovado na Câmara e em análise na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, ganhou um aditivo perigoso na Casa em que se encontra. O senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da proposta, inseriu uma emenda no texto que prevê a extinção de agências da estatal nos municípios brasileiros com menos de 15 mil habitantes. Com isso, sete cidades do Acre perderão os serviços postais.

Conforme os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase a metade dos municípios acreanos possuem uma quantidade populacional menor do que a prevista na proposta do parlamentar paulista que representa o estado acreano em Brasília. São eles: Assis Brasil, Bujari, Capixaba, Jordão, Manoel Urbano, Porto Walter e Rodrigues Alves. Caso seja aprovado e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), essas localidades serão severamente afetadas pela medida,

De acordo com Suzy Cristiny, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos do Acre (Sintect-AC), a medida proposta por Bittar ocasionará o fechamento de agências em mais de 3.256 municípios brasileiros. Ou seja, das mais de 5.570 cidades espalhadas pelo Brasil, cerca de 58,46% delas serão prejudicadas e ficarão sem atendimento, causando um verdadeiro apagão postal no País. Ela ressalta que a população carente terá diversos prejuízos irreparáveis.

“A emenda do senador é uma verdadeira enganação para tentar conquistar os votos dos colegas que já haviam declarado serem contra o projeto. Os moradores da Amazônia Legal já são esquecidos pelo Governo Federal há muito tempo pela falta de educação, saneamento, saúde, infraestrutura e tantos outros serviços cuja manutenção é obrigação do Estado. Os Correios é a única empresa pública que atende as comunidades ribeirinhas. Se privatizado, não será mais presença unânime”, enfatiza Suzy.

A sindicalista destaca que a propositura de Márcio Bittar é um duro golpe contra os municípios isolados, as populações das cidades com menos de 15 mil habitantes e todo o Acre. “Já temos uma economia frágil e dependente do setor público. Com a venda dos Correios para a iniciativa privada, isso ficará ainda mais forte devido ao desemprego, com a demissão dos atuais trabalhadores da empresa e o fim da movimentação econômica que os serviços dos Correios ocasionam nestes locais”.

Nenhum comentário: